Avaliação da execução do programa nacional de alimentação escolar em municípios do Tocantins

Autores

  • Joviana Coelho Afonso Universidade Federal do Tocantins
  • Leane de Sousa Santos Universidade Federal do Tocantins
  • Claudia Jaqueline Fialho Universidade Federal do Tocantins
  • Juciléia Maria Casali Universidade Federal do Tocantins
  • Luciana Pereira Jacobsen Universidade Federal do Tocantins

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-0221.2021.e72201

Palavras-chave:

Alimentação Escolar, Agricultura Familiar, Nutricionista, Conselho de Alimentação Escolar

Resumo

O Programa Nacional de Alimentação Escolar visa fornecer uma alimentação adequada e saudável aos estudantes. Objetivou-se avaliar a execução do Programa Nacional de Alimentação Escolar em 26 municípios do Tocantins no ano de 2018, com base na Lei n° 11.947, de 16 de junho de 2009. Trata-se de um estudo descritivo-quantitativo, a partir das atividades e questionários aplicados com atores envolvidos no programa, os questionários foram elaborados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação e aplicados pelas agentes do Centro Colaborador em Alimentação e Nutrição Escolar da Universidade Federal do Tocantins. Os relatórios gerados foram disponibilizados para o estudo, onde foram analisados os seguintes aspectos: possui nutricionista, realiza chamada pública, atinge os 30% destinados à Agricultura Familiar, possui saldo em conta superior a 30%, realiza atividades de Educação Alimentar Nutricional,se o Conselho de Alimentação Escolar é ativo e atuante. Portanto, é importante demonstrar a magnitude do programa.

Biografia do Autor

Joviana Coelho Afonso, Universidade Federal do Tocantins

Graduanda em Nutrição pela Universidade Federal do Tocantins (UFT).

Leane de Sousa Santos, Universidade Federal do Tocantins

Graduanda em Nutrição pela Universidade Federal do Tocantins (UFT).

 

Claudia Jaqueline Fialho, Universidade Federal do Tocantins

Professora  Associada  do Curso de Nutrição na Universidade Federal do Tocantins (UFT). Graduada em Economia Doméstica pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Mestre em Ciências dos Alimentos pela Universidade Federal de Lavras (UFLA) e Doutora em Microbiologia pela Universidade Estadual Paulista (UNESP).

Juciléia Maria Casali, Universidade Federal do Tocantins

Graduada em Nutrição pela Universidade Federal do Tocantins (UFT). Pós - Graduada em Gestão de Unidade de Alimentação e Nutrição pelo Instituto de  Pesquisas Ensino e Gestão em Saúde (IPGS) e Pós-Graduanda em Prescrição de Fitoterápicos e Suplementação Nutricional Clínica e Esportiva pela Faculdade de Venda Nova do Imigrante (FAVENI).

Luciana Pereira Jacobsen, Universidade Federal do Tocantins

Graduada em Nutrição pela Universidade Federal do Tocantins (UFT).

Referências

BAESTRIN, M.; FUNG, H.S.; SUDBRACK, E.M. As políticas públicas brasileiras de alimentação escolar: da centralização à descentralização – do assistencialismo à participação popular. Integra Educativa. v. 9, n. 1, p.141-157, 2016.

BELIK, W.; CHAIM, N.B. O programa nacional de alimentação escolar e a gestão municipal: eficiência administrativa, controle social e desenvolvimento local. Revista de Nutrição, Campinas, v. 22, n. 5, p. 595- 607, 2009.

BOSQUILIA, S.G.C.C; PIPITONE, M.A.P. A importância da Soberania Alimentar no âmbito do Conselho de Alimentação Escolar no município de Piracicaba (SP). Segurança Alimentar e Nutricional, Campinas, v. 26, p. 1-8, 2019.

BRASIL. Lei nº. 8.913, de 12 de julho de 1994. Dispõe sobre a municipalização da merenda escolar. Diário Oficial da União, 1994.

BRASIL. Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. Portaria nº 1.399, de 08 de maio de 2006. Brasília, 2006.

BRASIL. Resolução/CD/FNDE nº 38 de 16 de julho de 2009. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar aos alunos da educação básica no Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Diário Oficial da União, 2009.

BRASIL. Lei nº 11.947, de 16 de junho de 2009. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar e do Programa Dinheiro Direto na Escola aos alunos da educação básica. Diário Oficial da União 17 jun. 2009.

BRASIL. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Resolução CD/FNDE nº 26/2013. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar aos alunos da educação básica no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE. Brasília, 2013.

BRASIL. Ministério da Educação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Cartilha Nacional da Alimentação Escolar. Brasília, DF: 2ª ed., 2015, 88p.

BRASIL. Ministério da Educação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Aquisição de produtos da agricultura familiar para a alimentação escolar. Brasília, DF: 2ª ed., 2015, 32p.

BRASIL. Tribunal de Contas da União. Cartilha para conselheiros do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Brasília, DF, p. 119, 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação ou Programa Nacional de Alimentação Escolar. Histórico. Brasília, 2017. Disponível em: https://www.fnde.gov.br/index.php/programas/pnae/pnae-sobre-o-programa/pnae-historico Acesso em: 18 de maio de 2019.

BRASIL.Ministério da Educação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Nutricionistas do PNAE Manual de apoio para as atividades técnicas do nutricionista no âmbito do PNAE. Brasília, DF, 2018, 106p.

BRASIL. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Ministério da Educação. Programa Nacional de Alimentação Escolar - PNAE. Caderno de Legislações 2019. Atualizado em 09 de abril de 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Educação Alimentar e Nutricional - EAN, Brasília, 2017. Disponível em: https://www.fnde.gov.br/programas/pnae/pnae-eixos-de-atuacao/pnae-educacao-alimentar-nutricional. Acesso em: 17 de nov. de 2019.

CASTRO, R. Educação alimentar e nutricional enquanto processo educativo: um estudo de práticas e percepções de uma comunidade escolar de Uberaba-MG. Temas em Educação e Saúde, Araraquara, v. 14, n. 2, p. 215-228, jul./dez., 2018.

CFN. CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS. Resolução nº 465, de 23/08/2010. Dispõe sobre as atribuições do Nutricionista, e estabelece parâmetros numéricos mínimos de referência no âmbito do PNAE e dá outras providências. Brasil, 2010.

CORRÊA, R. S. et al. Atuação do Nutricionista no Programa Nacional de Alimentação Escolar na Região Sul do Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 22, n. 2, p. 563-574, Rio de Janeiro, fev. 2017.

FERREIRA, H.G.R; ALVES, R.G; MELLO, S.C.R.P. O Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE): alimentação e aprendizagem. Revista da Seção Judiciária do Rio de Janeiro, [S.l.], v. 22, n. 44, p. 90-113, abr. 2019. ISSN 2177-8337.

GABRIEL, C.G.; GOULART, G.; CALVO, M.C.M. Gestão municipal do Programa Nacional de Alimentação Escolar nas capitais da região Sul do Brasil. Revista de Nutrição, Campinas, v. 28, n.6, p.667-680, nov./dez., 2015

PATRIOTA, P. Alimentos ultraprocessados: como afetam a saúde. Centro de Recuperação e Educação Nutricional, São Paulo, 2018. Disponível em: http://www.cren.org.br/blog/2018/05/17/alimentos-ultraprocessados. Acesso em: 17 de nov. de 2019

PRADO, B.G. et al. Ações de educação alimentar e nutricional para escolares: um relato de experiência.Demetra: alimentação, nutrição e saúde, v. 11, n. 2, p. 369-382, Rio de Janeiro, 2016.

RODRIGUES, R. et al. A aquisição de alimentos da agricultura familiar pelo PNAE no município de Alegre-ES. Demetra: alimentação, nutrição e saúde, v. 12, n. 1, p. 91-112, Rio de Janeiro, 2017.

SANTOS, S.R; COSTA, M.B.S; BANDEIRA, G.T.P. As formas de gestão do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Revista Salud Pública, v. 18, n. 2, p. 311-322, Bogotá: Colômbia, 2016.

SILVA, S.U. et al. As ações de educação alimentar e nutricional e o nutricionista no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar. Ciência & Saúde Coletiva, v. 23, n. 8, p. 2671 - 2681, Rio de Janeiro, 2018.

SOUZA, A.A. et al. Atuação de nutricionistas responsáveis técnicos pela alimentação escolar de municípios de Minas Gerais e Espírito Santo. Ciência & Saúde Coletiva, v. 22, n. 2, p. 593 - 606, Rio de Janeiro, 2017.

Downloads

Publicado

2021-04-28