Programa conexões universidade-escola: cenários e contextos de uma aprendizagem significativa em Química

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-0221.2021.e75762

Palavras-chave:

História e Epistemologia da Ciência, Mapas Conceituais, Ensino de Química, Aprendizagem Significativa

Resumo

A História e a Epistemologia da Ciência têm influenciado diversas discussões nas últimas décadas em contexturas do Ensino de Química, tendo em vista sua potencial contribuição à compreensão de seus conceitos/princípios. Este artigo traz novos elementos que corroboram com essa reflexão, ao apresentar e aplicar, junto a uma turma de 2° ano do Ensino Médio de uma escola pública do município de Lavras do Sul/RS, no período letivo de 2019, uma proposta didático-pedagógica consubstanciada por textos disponíveis em livros didáticos atuais, os quais contemplam aspectos referentes à natureza dinâmica e socialmente construída da Ciência. Para tanto, utilizou-se da estratégia pedagógica dos Mapas Conceituais, amparada pela Teoria da Aprendizagem Significativa. Como recursos para análise de dados, se fez uso da Pesquisa Qualitativa e da Análise Textual Discursiva. Verificou-se ampla potencialidade qualificadora deste enfoque teórico ao planejamento e desenvolvimento das ações docentes, visto uma mudança de concepção em Ciências do público-alvo, rompendo, dessa forma, com a perspectiva de um Ensino de Química cuja concepção é pautada pelo acúmulo/transmissão de informações.

Biografia do Autor

André Luís Silva da Silva, Universidade Federal do Pampa

Doutorado em Educação em Ciências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professor Titular da Universidade Federal do Pampa.

Aniele Valdez, Universidade Federal do Pampa

Graduanda em Ciências Exatas - Licenciatura na Universidade Federal do Pampa.

Referências

AUSUBEL, D. P. Aquisição e Retenção de Conhecimentos: Uma Perspectiva Cognitiva. Lisboa: Editora Plátano, 2003.

AUSUBEL, D.P. The psychology of meaningful verbal learning. New York, Grune and Stratton. 1963.

AUSUBEL, D.P. Educational psychology: a cognitive view. Nova York: Holt, Rinehart and Winston, 1968.

AUSUBEL, D.P.; NOVOK, J.D.; HANESIAN, H. Educational psychology: a cognitive view. 2 ed. Nova York, Holt Rinehart and Winston, 1978.

BACHELARD, G. La Formation de L´espritscientifique.Paris: Vrin. 1938.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais (Ensino Médio). Brasília: MEC, 2000.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais + (PCN+) - Ciências da Natureza e suas Tecnologias. Brasília: MEC, 2002.

CACHAPUZ, A.; PRAIA, J.; JORGE M. Reflexão em torno de perspectivas do ensino das ciências: contributos para uma nova orientação escolar – ensino por pesquisa. Revista de Educação, v. IX, nº 1: 69-79. 2000.

CACHAPUZ, A., GIL-PEREZ, D.; PESSOA DE CARVALHO, A. M.; PRAIA, J.; VILCHES, A. A necessária renovação do ensino das ciências. São Paulo: Cortez, 2005.

FOUREZ, G. A Construção das Ciências. Editora UNEST, São Paulo: 1995.

GOLDENBERG, M. A arte de pesquisar. Rio de Janeiro: Record, 1997.

KUHN, T. A tensão essencial. Lisboa 70. 1977.

KÖHNLEIN, J. F. K.; PEDUZZI, L. O. Q. Uma discussão sobre a natureza da Ciência no Ensino Médio: um exemplo com a Teoria da Relatividade Restrita. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, Florianópolis, v. 22, n. 1, p. 36-70, abr. 2005.

LOUGUERCIO, R. de Q.; DEL PINO, J. C. Contribuições da história e da filosofia da ciência para a construção do conhecimento científico em contextos de formação profissional da química. Acta Scientiae, 2006.

MATTHEWS, M. R. Science teaching: the role of history and philosophy of science. Routledge, New York and London, 1994.

MATTEWS, M. R. História, filosofia e ensino de ciências: a tendência atual de reaproximação. Caderno Catarinense de Ensino de Física, Florianópolis, v. 12, n. 3, 1995.

MARQUES, D. M.. Dificuldades e possibilidades da utilização da História da Ciência no Ensino de Química: um estudo de caso com Professores em formação inicial. 132 f. Tese (Doutorado) - Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 2010.

MARTINS, A. F. P. História e filosofia da ciência no ensino: há muitas pedras nesse caminho. Caderno Brasileiro de Ensino de Física. Florianópolis, SC , v. 24, n.1: p. 112-131, 2007.

MARTINS, L. A. P. História da Ciência: objetos, métodos e problemas. Ciência e Educação, São Paulo, SP, v. 11, n. 2, p. 305-317, 2005.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. C. Análise textual discursiva: processo reconstrutivo de múltiplas faces. 2006.

MORAES, R; GALIAZZI, M. C. Análise textual discursiva. Ijuí: Editora Unijuí, 2011.

MOREIRA, M. A. Mapas conceituais como instrumentos para a diferenciação conceitual progressiva e a reconcialiação integrativa. Ciência e Cultura, São Paulo, v. 32, n. 4, 1980.

MOREIRA, M. A. The use of concept maps and the five questions in a foreign language classroom: effects on interaction. Tese de doutorado. Ithaca, NY, Cornell University. 1988.

MOREIRA, M. A. Aprendizaje significativo: un concepto subyacente. Actas del encuentro internacional sobre el aprendizaje significativo, v. 19, p. 44, 1997.

MOREIRA, M. A. A teoria da aprendizagem significativa e sua implementação em sala de aula – Brasília. Editora Universidade de Brasília, 2006.

MOREIRA, M.A. Mapas conceituais e aprendizagem significativa. São Paulo: Centauro Editora - 2010.

NOVAK, J. D. Uma teoria de educação. São Paulo - Pioneira. Tradução para o português, de M.A. Moreira, do original A theory of education. Ithaca. N.Y., Cornell University, 1977.

PIETROCOLA, M. A história e a epistemologia no ensino de ciências: dos processos aos modelos de realidade na educação científica. In: ANDRADE, A. M. R. (Org.) Ciência em Perspectiva. Estudos, Ensaios e Debates. Rio de Janeiro: MAST/SBHC, 2003.

POZO, J. I.; CRESPO, M. A. G. A aprendizagem e o ensino de ciências: do conhecimento cotidiano ao conhecimento científico. Porto Alegre: Artmed, 2009.

SILVA, É. R. A.; JESUS, L. C.; MACHADO, A. V.; SILVA, A. L. S.; GOI, M. E. J.; ELLENSOHN; R. M., A utilização de Mapas Conceituais como estratégia de auxílio aos processos de ensino e aprendizagem, XVIII Encontro Nacional de Ensino de Química, Florianópolis, 2016.

TAVARES, R. Ambiente colaborativo on-line e a aprendizagem significativa de Física. 13º CIED - Congresso Internacional ABED de Educação a Distância - Curitiba. 2007.

Downloads

Publicado

2021-04-28