Algumas origens da rejeição pela carreira profissional no magistério em Física

Cátia Brock, João Bernardes da Rocha Filho

Resumo


A pesquisa apresentada neste artigo originou-se a partir de nossa preocupação quanto à carência de professores de física para o Ensino Médio, e teve como objetivo identificar os fatores conscientes que obstaculizam a escolha profissional por essa carreira de nível superior, a partir da interrogação de estudantes do final do ensino básico, com apoio do CNPq e da FAPERGS. Neste artigo, são apresentados, principalmente, a metodologia e os resultados da pesquisa, cuja investigação de campo utilizou um questionário aplicado a aproximadamente duas centenas de estudantes do último ano do Ensino Médio de escolas públicas e privadas das dezesseis regiões orçamentárias do município de Porto Alegre. As respostas foram analisadas textualmente, e os resultados sugerem que, do ponto de vista endógeno à escola, certas características da atuação profissional de um número expressivo de professores de física, como a falta de cuidado com o relacionamento com os alunos, a opção pela matematização em detrimento da conceitualização e contextualização, assim como a ausência de experimentos que acompanhem o estudo dos fenômenos e teorias físicas são os principais fatores que contribuem para que os alunos do Ensino Médio se distanciem da física e, consequentemente, da possibilidade de serem futuros professores dessa ciência. Como fatores externos à escola, os elementos mais referenciados nas respostas dos alunos são os associados à opinião pública sobre a baixa perspectiva de valorização profissional que caracteriza certos segmentos do magistério, neste momento histórico.


Palavras-chave


Licenciatura em Física; Escassez de professores; Opção profissional

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7941.2011v28n2p356

 


Cad. Bras. Ens. Fís. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil - - - eISSN 2175-7941 - - - está licenciada sob Licença Creative Commons
> > > > >