Tarefas para Aulas Invertidas: relato de experiência docente com deveres de casa on-line em curso de Física

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7941.2020v37n2p730

Palavras-chave:

Dever de Casa, Sala de Aula Invertida, Metodologias Ativas, Currículo, Ensino de Física

Resumo

Tarefas para casa – ou deveres escolares – sempre estiveram presentes em Cursos de Física da Educação Básica e da Educação superior. As metodologias ativas atribuíram novas funções às lições de casa. Contudo, essas lições não têm sido objeto de pesquisa empírica, nem de relato docente. Neste relato de experiência, descrevemos o uso, em dois anos letivos, de tarefas on-line para sala de aula invertida junto a cinco turmas da 2ª série do Ensino Médio de uma escola pública federal localizada em Belo Horizonte. O relato inclui: precedentes dessa iniciativa; detalhes do contexto escolar; considerações reflexivo-analíticas; exemplo de desenvolvimento e implementação de uma tarefa; avaliação da iniciativa com base em taxas de resposta e de enquetes sobre as tarefas. Esta avaliação nos mostrou que, embora desinteressados pelos deveres escolares, os estudantes se engajaram na sua realização. Inferimos que seu engajamento decorre do trabalho da equipe de professores e da capacidade destes de convencer os estudantes da importância das tarefas para casa para o aprendizado em física.

Biografia do Autor

Alexandre F. Faria, Colégio Técnico, Universidade Federal de Minas Gerais

Professor de Física há 15 anos, com atuação na Educação Básica e na Educação Superior. Trabalhou em instituições de ensino públicas e privadas de Belo Horizonte e região metropolitana. Desde 2011, faz parte do corpo docente efetivo do Colégio Técnico da UFMG. É Doutor e Mestre em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais e Licenciado em Física pela mesma instituição.

Arnaldo M. Vaz, Colégio Técnico, Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Minas Gerais

Natural de Belo Horizonte, cresceu e se graduou em São Paulo. Há 24 anos, voltou a BH para ser professor de turmas de ensino médio na UFMG. Antes lecionou em escolas estadual, alternativa, tradicional e católica progressista. Passou a relatar experiências diante de convites que recebeu por ser professor e fazer pesquisa em ensino.

Referências

AMALDI, U. Imagens da Física: As idéias e as experiências, do pêndulo aos quarks. São Paulo: Scipione, 1995.

BEREITER, C.; SCARDAMALIA, M. Rethinking Learning. In: OLSON, D. R.; TORRANCE, N. (Org.). The handbook of education and human development: New models of learning, teaching, and schooling. Cambridge: Blackwell, 1996. p. 485-513.

BERGMANN, J.; SAMS, A. Flip your Classroom: Reach Every Student in Every Class Every Day. 1. ed. Washington: ISTE, 2012.

BONHAM, S. W.; DEARDORFF, D. L.; BEICHNER, R. J. Comparison of student performance using web and paper-based homework in college-level physics. Journal of Research in Science Teaching, v. 40, n. 10, p. 1050-1071, 2003.

CARVALHO, M. E. P. Escola como extensão da família ou família como extensão da escola? O dever de casa e as relações família-escola. Revista Brasileira de Educação, n. 25, p. 94-104, 2004.

CARVALHO, M. E. P.; SERPA, M. H. B. Dever de casa: visões de mães e professoras. Olhar de Professor, v. 9, n. 1, p. 31-46, 2006.

CHENG, K. K. et al. Using an online homework system enhances students’ learning of physics concepts in an introductory physics course. American Journal of Physics, v. 72, n. 11, p. 1447-1453, 2004. Disponível em: <http://aapt.scitation.org/doi/10.1119/1.1768555>.

DETTMERS, S. et al. Homework works if homework quality is high: Using multilevel modeling to predict the development of achievement in mathematics. Journal of Educational Psychology, v. 102, n. 2, p. 467-482, 2010. Disponível em:

<http://doi.apa.org/getdoi.cfm?doi=10.1037/a0018453>.

DEWEY, J. Experience and Education. New York: Touchstone, 1997.

FAGEN, A. P.; CROUCH, C. H. Peer Instruction: Results from a Range of Classrooms. The Physics Teacher, v. 40, n. April, p. 206, 2002.

FARIA, A. F.; VAZ, A. M. Experiências de Pensamento Científico em Aulas de Física. Investigações em Ensino de Ciências, v. 23, n. 1, p. 266-294, 2018.

FISHER, D.; LAPP, D.; FREY, N. Homework in Secondary Classrooms: Making It Relevant and Respectful. Journal of Adolescent and Adult Literacy, v. 55, n. 1, p. 71-74, 2011.

FREDRICKS, J. A.; BLUMENFELD, P. C.; PARIS, A. H. School Engagement: Potential of the Concept, State of the Evidence. Review of Educational Research, v. 74, n. 1, p. 59-109, 2004. Disponível em: <http://rer.sagepub.com/cgi/doi/10.3102/00346543074001059>.

FREIRE, P. Educação como Prática da Liberdade. 13. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: Saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

HENDERSON, C.; DANCY, M. Impact of physics education research on the teaching of introductory quantitative physics in the United States. Physical Review Special Topics - Physics Education Research, v. 5, n. 2, p. 1-8, 2009.

JENSEN, J. L. et al. Investigating Strategies for Pre-Class Content Learning in a Flipped Classroom. Journal of Science Education and Technology, n. Jun, p. 1-13, 2018. Disponível em: <http://link.springer.com/10.1007/s10956-018-9740-6>.

LASRY, N.; MAZUR, E.; WATKINS, J. Peer instruction: From Harvard to the two-year college. American Journal of Physics, v. 76, n. 11, p. 1066-1069, 2008.

LENAERTS, J.; WIEME, W.; ZELE, E. VAN. Peer instruction: a case study for an introductory magnetism course. European Journal of Physics, v. 24, p. 7-14, 2003.

MAZUR, E. Peer Instruction: A User’s Manual. Upper Saddle River: Prentice Hall, 1997.

MCDERMOTT, L. C. How we teach and how students learn - A mismatch? American Journal of Physics, v. 61, n. 4, p. 295-298, 1993.

MCDERMOTT, L. C.; SHAFFER, P. S. Research as a guide for curriculum development: An example from introductory electricity. Part I: Investigation of student understanding. American Journal of Physics, v. 60, n. 11, p. 994-1003, 1992. Disponível em: <http://aapt.scitation.org/doi/10.1119/1.17003>.

MCDERMOTT, L. C.; SHAFFER, P. S. Tutorials in Introductory Physics. Upper Saddle River, NJ: Prentice Hall, 2002. Disponível em:

<http://courses.washington.edu/uwpeg/tutorial>.

MESTRE, J. et al. The Effect of Web-Based Homework on Test Performance in Large Enrollment Introductory Physics Courses. Journal of Computers in Mathematics and Science Teaching, v. 21, n. 3, p. 229-251, 2002.

OLIVEIRA, T. E. DE; ARAUJO, I. S.; VEIT, E. A. Sala de aula invertida (flipped classroom): inovando as aulas de física. Física na Escola, v. 14, n. 2, p. 4-13, 2016.

OLSON, D. R.; BRUNER, J. S. Folk Psychology and Folk Pedagogy. In: OLSON, D. R.; TORRANCE, N. (Org.). The handbook of education and human development: New models of learning, teaching, and schooling. Cambridge: Blackwell, 1996. p. 9-27.

POZO, J. I.; GÓMEZ, M. Á. Aprender y enseñar ciencia: del conocimiento cotidiano al conocimiento científico, 1998. p. 152.

REIDSEMA, C. et al. (Org.). The flipped classroom - Practice and Practices in Higher Education. Gateway East: Springer Nature, 2007.

RESENDE, T. F. Entre escolas e famílias: revelações dos deveres de casa. Paidéia (Ribeirão Preto), v. 18, n. 40, p. 385-398, 2008.

ROSÁRIO, P. et al. Does homework design matter? The role of homework’s purpose in student mathematics achievement. Contemporary Educational Psychology, v. 43, p. 10-24, 2015.

SMITH, M. K. et al. Why peer discussion improves student performance on in-class concept questions. Science, v. 323, p. 122-124, 2009.

SUPPAPITTAYAPORN, D.; EMARAT, N.; ARAYATHANITKUL, K. The effectiveness of peer instruction and structured inquiry on conceptual understanding of force and motion: a case study from Thailand. Research in Science & Technological Education, v. 28, n. 1, p. 63-79, 2010.

TROWBRIDGE, D. E.; MCDERMOTT, L. C. Investigation of student understanding of the concept of acceleration in one dimension. American Journal of Physics, v. 49, n. 3, p. 242-253, 1981. Disponível em: <http://aapt.scitation.org/doi/10.1119/1.12525>.

VAZ, A. M.; JULIO, J. M.; FARIA, A. F. Princípios para investigação da experiência em atividades baseadas em pesquisas em Ensino de Física. In: ENCONTRO DE PESQUISA EM ENSINO DE FÍSICA, 14, 2012, Maresias. Atas... São Paulo: SBF, 2012. p. 1-9. Disponível em: <http://www.sbf1.sbfisica.org.br/eventos/epef/xiv/sys/resumos/T0069-2.pdf>.

Downloads

Publicado

2020-08-12

Edição

Seção

Relatos e propostas de experiências didáticas