Análise de sequências didáticas com abordagem de Ensino por Investigação produzidas por estudantes de licenciatura em Física

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7941.2021.e74226

Resumo

Em uma sociedade cada vez mais globalizada, faz-se necessário repensar um ensino de Ciências que forme cidadãos críticos capazes de se apropriar do conhecimento científico para bem viver na sociedade e com o ambiente. Abordagens didáticas centradas no aluno como o ensino por investigação podem favorecer a aprendizagem e torná-lo protagonista na construção de seu próprio conhecimento. No entanto, formar professores capacitados para trabalhar o desenvolvimento da competência científica em sala não é uma tarefa fácil e exige tanto uma formação inicial específica quanto uma formação epistemológica e teórico-metodológica contínua. Neste trabalho, partimos do pressuposto de que a utilização de abordagens investigativas em disciplinas de conteúdo específico de Física pode estimular e capacitar os professores em formação inicial a incorporar esta abordagem à sua prática docente. Assim, buscou-se analisar qualitativamente as sequências didáticas baseadas em investigação que foram produzidas ao final de um semestre por uma turma de estudantes do curso de licenciatura em Física da Universidade Federal do Pará. Essa turma vivenciou na prática uma disciplina realizada inteiramente no formato da abordagem investigativa. Para a análise, utilizamos uma rubrica que propõe a categorização de sequências didáticas quanto ao grau de presença da abordagem investigativa. Os resultados apontam dificuldades de utilizar abordagens centradas no aluno, de compreender os aspectos teóricos básicos do ensino por investigação e, sobretudo, a dificuldade de romper com o paradigma tradicional de ensino.

Biografia do Autor

Clara Elena Souza Tabosa, Mestranda em Educação em Ciências e Matemáticas, Universidade Federal do Pará

Graduanda do curso de Licenciatura em Física pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Atualmente, é bolsista pelo Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica – PIBIC, desenvolvendo pesquisas sobre Atividades Investigativas no Ensino de Física e suas implicações no desenvolvimento de habilidades e competências científicas e na compreensão de aspectos da Natureza da Ciência. É membro do Grupo de Pesquisa em Ensino de Física da Universidade Federal do Pará. 

Silvana Perez, Universidade Federal do Pará

Possui graduação em Física, Licenciatura e Bacharelado, pela USP (1996), mestrado em Física pela USP (2000), doutorado em Física pela USP, com estágio na Universidade de Rochester (EUA) (2003) e pós-doutorado em Didática das Ciências pela Universidade de Burgos (2019). Atua como professora e pesquisadora na UFPA desde 1998, tendo experiência em Teoria Geral de Partículas e Campos e Ensino de Física. Desde 2014 pesquisa também na área de ensino de Física e, no ano de 2016, publicou seu primeiro livro: "Mecânica Quântica: um curso para professores da educação básica". Atualmente, faz parte do colegiado do polo UFPA do Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física, coordena o Grupo de Pesquisa em Ensino de Física da UFPA e o Núcleo de Estudos REPENSE. 

Referências

ADADA, F. Estudo sobre a percepção do discente sobre as metodologias ativas na educação superior. 2017. 142f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Centro de Educação, Comunicação e Artes, UNIOESTE, Cascavel.

BAPTISTA, G. C. S. A importância da reflexão sobre a prática de ensino para a formação docente inicial em Ciências Biológicas. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 5, n. 2, p. 4-12, dez. 2003.

BAZZO, W. A. et al. O que é ciência? In: BAZZO et al. (Orgs.). Introdução aos estudos CTS (ciência, tecnologia e sociedade). Madri: OEI, 2003. Cap. 1. p. 35-80.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília, 1997.

BRASIL. Ministério da Educação. Plano Nacional de Educação. Brasília, 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018.

CACHAPUZ, A. et al. (Orgs.). A necessária renovação do ensino das ciências. São Paulo: Cortez, 2005.

CAMPOS, N. F.; SCARPA, D. L. Que desafios e Possibilidades Expressam os Licenciandos que começam a aprender sobre ensino de Ciências por Investigação? Tensões entre visões de Ensino centradas no professor e no estudante. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 18, n. 2, p. 727-759, ago. 2018.

CANÃL, P. Saber ciencias no equivale a tener competencia profesional para enseñar ciências. In: PEDRINACI, E. (Coord.). El desarrollo de la competencia científica. Barcelona: Graó, 2012. p. 217-239.

CARDOSO, M. J. C.; SCARPA, D. L. Diagnóstico de elementos do Ensino de Ciências por Investigação: uma ferramenta de análise de propostas de ensino investigativo. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 18, n. 3, p. 1025-1059, set. 2018.

CARVALHO, A. M. P.; GIL-PÉREZ, D. Formação de professores de Ciências: tendências e inovações. São Paulo: Cortez, 2011.

CARVALHO, A. M. P.; SASSERON, L. H. Ensino e aprendizagem de Física no Ensino Médio e a formação de professores. Estudos Avançados, São Paulo, v. 32, n. 94, p. 43-55, 2018. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/eav/article/view/152655. Acesso em: 7 mai. 2020.

CARVALHO, I. S.; MAGNO, F. N. B.; PEREZ, S. Reação de estudantes de bacharelado no processo de ensino-aprendizagem de conceitos físicos com abordagem investigativa: um relato de experiência na Universidade Federal do Pará. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENSINO DE CIÊNCIAS POR INVESTIGAÇÃO (ENECI), 2, 2020, online. Anais...

CARVALHO, J. F. M.; CARVALHO, I. S.; PEREZ, S. Atividades investigativas no ambiente universitário: um relato de participação discente no plano piloto aplicado no primeiro semestre de graduação em Física na UFPA. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENSINO DE CIÊNCIAS POR INVESTIGAÇÃO (ENECI), 2, 2020, online. Anais...

COELHO, G. R.; AMBRÓZIO, R. M. O ensino por investigação na formação inicial de professores de Física: uma experiência na Residência Pedagógica de uma universidade pública federal. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 36, n. 2, p. 490-513, ago. 2019.

DARUB, A. K. G. S; SILVA, O. R. Formação de professores e metodologias ativas. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIAS (CIET), 5, 2020, online. Anais...

DOMINGUES, G. H. C.; NASCIMENTO, W. J.; VALÉRIO, M. Iniciação à docência em Física inspirada no ensino por investigação. Revista Extensão em Foco, v. 19, p. 72-85, 2019. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/extensao/article/view/63871. Acesso em: 7 mai. 2020.

DUARTE, V. G. Metodologias ativas e ensino de Ciências na Educação Superior: um estudo a partir da percepção do aluno. 2018. 114f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências) - Universidade Federal de Itajubá, Itajubá.

GIORDAN, M.; GUIMARÃES, Y.; MASSI, L. Uma análise das abordagens investigativas de trabalhos sobre sequências didáticas: tendências no ensino de Ciências. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS (ENPEC), VIII, 2011, Campinas. Anais... Rio de Janeiro: ABRA, 2011.

GOLOMBEK, D. A. Aprender e ensinar Ciências: do laboratório à sala de aula (e vice-versa). 2. ed. São Paulo: Sangari do Brasil, 2009.

GRECA, I. M.; VILLAGRÁ, J. A. M.; OJEDA, M. D. La formación en Ciencias de los estudiantes del grado en maestro de Educación Primaria. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 16, n. 2, p. 231-256, 2017. Disponível em: http://reec.uvigo.es/REEC/spanish/REEC_older_es.htm. Acesso em: 7 mai. 2020.

INTERNATIONAL YOUNG PHYSICIST TOURNMENT. Problemas. Disponível em: http://www.iypt.com.br/problemas. Acesso em: 27 jan. 2020.

KRÄMER, P; NESSLER, S. H.; SCHLÜTER, K. Teacher student’s dilemmas when teaching science through inquiry. Research in Science & Techonogical Education, v. 33, n. 3, p. 1-19, 2015.

LEDERMAN, J. et al. An international collaborative investigation of beginning seventh grade students’ understandings of scientific inquiry: establishing a baseline. Jornal of Research in Science Teaching, v. 53, n. 4, p. 486-515, 2019.

LIMA, A. C. A.; BELÍSSIMO, J. R.; NARDI, R. Os sentidos atribuídos por licenciandos em Física sobre o ensino por investigação. In: ENCONTRO DE PESQUISA EM ENSINO DE FÍSICA (EPEF), XVIII, 2020, online. Anais...

LORENZETTI, L.; DELIZOICOV, D. Alfabetização científica no contexto das séries iniciais. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 3, n. 1, p. 45-61, 2001.

LOTTER, C.; RUSHTON, G. T.; SINGER, J. Teacher enactment patterns: how can we help move all teachers to reform-based inquiry practice through professional development? Journal of Science Teacher Education, v. 248, p. 1263-1291, 2016.

MONTEIRO, P. V. R.; SILVA, G. L. R.; ROSSLER, J. H. A apropriação de conceitos científicos no contexto escolar e as pedagogias do aprender a aprender. Psicologia Escolar e Educacional, São Paulo, v. 20, n. 3, p. 551-560, 2016.

MOREIRA, M. A. Uma análise crítica do ensino de Física. Estudos Avançados, São Paulo, v. 32, n. 94, p. 73-80, set. 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ea/a/3JTLwqQNsfWPqr6hjzyLQzs/?lang=pt. Acesso em: 7 mai. 2020.

MUNFORD, D.; LIMA, M. E. Ensinar Ciências por investigação: em quê estamos de acordo? Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 9, n. 1, p. 89-111, 2007.

NATIONAL RESEARCH COUNCIL. National science education standards. Washington: National Academy Press, 1996.

NATIONAL RESEARCH COUNCIL. Inquiry and the national science education standards: a guide for teaching and learning. Washington: National Academies Press, 2000.

NATIONAL RESEARCH COUNCIL. A framework for K-12 science education: Practices, crosscutting concepts, and core ideas. Washington: National Academies Press, 2012.

NGSS LEAD STATES. Next generation science standards: For states, by states. Washington: National Academies Press, 2013.

PARANHOS, M. C. R. et al. Metodologias ativas no ensino de física: uma análise comparativa. Revista Ensino e Pesquisa, v. 14, n. 36, p. 124-131, 2017.

PEREZ, S. et al. O pêndulo defasado: um exemplo de sistema caótico para estudantes do ciclo inicial do curso de graduação em Física. Revista do Professor de Física, v. 2, n. 3, 2018. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/rpf/article/view/19049. Acesso em: 10 mai. de 2020.

PEREZ, S.; VILLAGRÁ, J. A. M. La competencia científica en las actividades de aprendizaje incluidas en los libros de texto de Ciencias de la Naturaleza. Revista Eureka sobre Enseñanza y Divulgación de las Ciencias, Andaluzia, v. 17, n. 2, p. 2101-3 a 2101-18, 2020.

PROGRAMME FOR INTERNATIONAL STUDENT ASSESSMENT. Marco de la evaluación: conocimientos y habilidades en Ciencias, Matemáticas y Lectura. Madrid: Santillana Educación, 2006.

SCHWARZ, C. V.; GWEKWERERE, Y. N. Using a guide inquiry and modeling instructional framework (EIMA) to support preservice K-8 science teaching. Science Education, v. 91, n. 1, p. 158-186, 2007.

SEUNG, E. P.; PARK, S. JUNG, J. Exploring preservice elementary teacher’s understanding of the essential features of inquiry-based science teaching using evidence-based reflection. Research in Science Education, v. 44, n. 4, p. 507-529, 2014.

TABOSA, C. E. S. et al. Atividades investigativas e o desenvolvimento de habilidades e competências: um relato de experiência do curso de física da Universidade Federal do Pará. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 40, n. 4, 2018.

TOMA, R. B.; GRECA, I. M.; VILLAGRÁ, J. A. M. Dificultades de maestros en formación inicial para diseñar unidades didácticas usando la metodología de indagación. Revista Eureka sobre Enseñanza y Divulgación de las Ciencias, Andaluzia, v. 14, n. 2, p. 442-457, 2017.

VAN UUM, M. S. J; VERHOEFF, R. P.; PEETERS, M. Inquiry-based science education: towards a pedagogical framework for primary school teachers. International Journal of Science Education, v. 38, n. 3, p. 450-469, 2016.

ZABALA, A. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

ZÔMPERO, A. F.; GONÇALVES, C. E. S.; LABURÚ, C. E. Atividades de investigação na disciplina de Ciências e desenvolvimento de habilidades cognitivas relacionadas a funções executivas. Ciência & Educação, Bauru, v. 23, n. 2, p. 419-436, 2017.

ZÔMPERO, A. F.; LABURÚ, C. E. Atividades investigativas no ensino de Ciências: aspectos históricos e diferentes abordagens. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 13, n. 3, p. 67-80, 2011.

ZÔMPERO, A. F.; LABURÚ, C. E. Atividades investigativas para as aulas de Ciências: um diálogo com a Teoria da Aprendizagem Significativa. Curitiba: Apriss, 2016.

Downloads

Publicado

2021-12-15

Edição

Seção

Formação de Professores de Ciências/Física