Distribuição de elementos leves dentro do VP em Português: interação entre sintaxe, prosódia e estrutura informacional em teoria da otimidade

Autores

  • Gabriel de Ávila Othero Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS
  • Sérgio de Moura Menuzzi Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-8412.2009v6n1p23

Palavras-chave:

Ordem de palavras, Foco, Estrutura informacional da frase, Teoria da otimidade

Resumo

Neste artigo, analisamos o fenômeno da ordem de palavras dentro do VP em português, especialmente na variação entre complemento e advérbios monossilábicos, utilizando, para isso, o modelo da Teoria da Otimidade (TO). Mostramos que o modelo proposto pela TO permite colocar em pé de igualdade restrições de natureza sintática, prosódica e de estrutura informacional da frase que atuam sobre a distribuição dos elementos dentro do VP em português. Partimos da análise de Costa (1998) para a distribuição do acento nuclear da frase e de sua proposta para explicar o acento em advérbios monossilábicos dentro do VP e propomos quatro restrições (duas relativas à estrutura informacional da frase e duas de natureza prosódica) que podem explicar, de maneira econômica e relativamente bem motivada, a distribuição do acento nuclear da frase quando temos elementos leves dentro do VP em português.

Biografia do Autor

Gabriel de Ávila Othero, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

formado em Letras Português/Inglês e Letras Português pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS; Especialista em Estruturas da Língua Portuguesa pela Universidade Luterana do Brasil - ULBRA; Mestre em Letras, área de Linguística Aplicada, e Doutor em Linguística Aplicada pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS; pós-doutorando em Sintaxe em Teoria da Otimidade pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS.

Sérgio de Moura Menuzzi, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

formado em Língua Portuguesa e Literatura pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS; Mestre em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas - Unicamp; Doutor em Linguística pela Universidade de Leiden (Holanda). Professor Adjunto Departamento de Linguística, Filologia e Teoria Literária Instituto de Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS.

Downloads

Publicado

2009-11-04

Edição

Seção

Artigo