Letramento: um conceito em (des)construção e suas implicações/repercussões na ação docente em língua materna

Autores

  • Mary Elizabeth Cerutti-Rizzatti Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-8412.2009v6n2p1

Palavras-chave:

Letramento, Alfabetização, Ação docente em língua materna

Resumo

Este artigo focaliza o fenômeno do letramento. Trata-se de uma abordagem qualitativa, de vivência etnográfica, levada a termo com o objetivo de responder à seguinte questão de pesquisa: Que implicações/repercussões a (des)construção do conceito de letramento traz consigo em se tratando da atuação do profissional de língua materna na escola? O estudo empírico previu a vivência, ao longo de um semestre letivo, em duas escolas públicas de educação básica e a interação com seis profissionais, dentre os quais professores de língua materna e professores alfabetizadores. A ancoragem teórica constitui-se fundamentalmente de estudos de Street (1984; 1988; 2003), Barton (1994); Barton, Hamilton e Ivanic (2000) e Hamilton (2000). Os resultados apontam para impermeabilidades e permeabilidades no que respeita à ação docente concebida à luz decontribuições teóricas desse universo. As impermeabilidades parecem corresponder às propostas de hibridização entre letramentos locais e letramentos globais; já as permeabilidades revelam-se mais efetivamente na busca de compreensões menos instáveis em se tratando das relações entre letramento e alfabetização.

Biografia do Autor

Mary Elizabeth Cerutti-Rizzatti, Universidade Federal de Santa Catarina

Professora adjunta do curso de Letras - Português do CCE/DLLV/UFSC

Downloads

Publicado

2010-03-03

Edição

Seção

Artigo