Práticas de letramento na educação de jovens e adultos

Nilcéa Lemos Pelandré, Paula Alves de Aguiar

Resumo


Este artigo discute práticas de letramento em eventos com jornais e revistas dos quais participaram 27 alfabetizandos e um professor da Educação de Jovens e Adultos (EJA) da Prefeitura Municipal de Florianópolis, no ano de 2007. A perspectiva teórica adotada para a análise dos dados é a dos Novos Estudos do Letramento (STREET 2003; BARTON 1994; GEE 2004, 2005; DIONÍSIO 2007a, 2007b) com ênfase nos modelos de letramento autônomo e ideológico propostos por Street (2003). Os dados apresentados demonstram a existência de práticas de leitura e escrita na EJA as quais, em determinados momentos, aproximam-se do modelo autônomo de letramento e, em outros, do modelo ideológico. Os dados revelam, ainda, que, quando as práticas escolares estavam vinculadas às práticas sociais, possibilitava-se a compreensão da pluralidade das práticas de letramento, gerando sentidos favoráveis aos alunos em relação à metodologia de ensino e aprendizagem utilizada, bem como à leitura e escrita em uso.


Palavras-chave


Letramento; Letramento autônomo e ideológico; Eventos de letramento; Práticas de letramento; Educação de jovens e adultos

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-8412.2009v6n2p55

Direitos autorais

Creative Commons License

Esta publicação está regida por uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Fórum Linguístico, ISSNe 1984-8412, Florianópolis (Santa Catarina), Brasil