A diversidade lexical na escrita de textos escolares

Mário Martins

Resumo


Este artigo apresenta um estudo de correlação entre a diversidade lexical e a progressão escolar em textos escritos por crianças e adolescentes em idade escolar monolíngues de português europeu. Para mensurar a diversidade, utiliza-se a medida D (RICHARDS; MALVERN, 1997), versão matematicamente corrigida da medida TTR (TEMPLIN, 1957), que consiste na razão entre palavras diferentes (types) e palavras totais (tokens). Com o recurso às ferramentas CLAN (MACWHINNEY, 2000) e IMS Open Corpus Workbench (EVERT; HARDIE, 2011), esta medida foi aplicada a um corpus quasi-longitudinal, com 244 textos de registros narrativos (n=122) e argumentativos (n=122), escritos por alunos do quinto (n=26), do sétimo (n=46) e do décimo (n=50) anos do sistema escolar português. Os resultados mostram que, em ambos os registros, há uma correlação positiva entre a progressão escolar e o desenvolvimento lexical, mas que não se mostra linear de um ano a outro, particularmente do quinto ao sétimo ano. Para fundamentar a discussão, são apresentados dois exemplos dos modos como os textos escolares sob estudo variam quanto à utilização do vocabulário. Pretende-se, com este trabalho, contribuir para uma compreensão mais pormenorizada dos movimentos configuradores do desenvolvimento da língua escrita de crianças e jovens em idade escolar.


Palavras-chave


Diversidade Lexical; Progressão Escolar; Textos Escolares

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-8412.2016v13n1p1068

Direitos autorais 2016 Fórum Linguístico

Creative Commons License

Esta publicação está regida por uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Fórum Linguístico, ISSNe 1984-8412, Florianópolis (Santa Catarina), Brasil