A interface cognitiva nos processos de categorização e construção de identidades

Autores

  • Maria Sirleidy de Lima Cordeiro UFPE - Universidade Federal de Pernambuco
  • Lílian Noemia Torres Melo Guimarães UFPE - Universidade Federal de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-8412.2016v13n1p1094

Palavras-chave:

Categorização, Identidade Social, Modelos de Contexto

Resumo

O artigo visa analisar as identidades atribuídas aos atores sociais participantes do Movimento Passe Livre no Brasil; e investigar como eles são categorizados pelo discurso noticioso. Fundamentamo-nos no argumento de que as categorias são marcadas por uma “instabilidade constitutiva”, ou seja, transformam-se a partir dos contextos (MONDADA; DUBOIS, 2003). Sobre o tema contexto, baseamo-nos nos pressupostos da Sociocognição. Isso proporciona que haja uma interface cognitiva entre categorização e construção de identidades. Analisamos notícias de divulgação on-line sobre o Movimento Passe Livre. Percebemos que, mesmo que haja uma mudança na categorização atribuída aos atores sociais do movimento, as categorias nominadas pelo discurso das notícias possibilitaram uma maior visibilidade social de imagens negativas desses grupos. O contexto foi considerado, nesses termos, como um dos elementos chave para que as categorizações e atribuições identitárias ocorressem.

Biografia do Autor

Maria Sirleidy de Lima Cordeiro, UFPE - Universidade Federal de Pernambuco

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL) e bolsista Capes. 

Lílian Noemia Torres Melo Guimarães, UFPE - Universidade Federal de Pernambuco

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL) e bolsista Capes.

Downloads

Publicado

2016-03-29

Edição

Seção

Artigo