O modelo cognitivo idealizado da ansiedade e a metáfora da encomenda

Autores

  • Daniel Felix da Costa Jr. Universidade Federal Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-8412.2016v13n2p1169

Palavras-chave:

Metáfora, Conceitos Emocionais, Ansiedade

Resumo

Este artigo tematiza a conceptualização da ansiedade no contexto do português brasileiro. A abordagem é centrada na Linguística Cognitiva e nos procedimentos metodológicos do MIP1. O corpus dividiu-se em: a) textos de jornais on-line; e b) segmentos selecionados de buscadores eletrônicos. As unidades lexicais metafóricas foram identificadas em dois frames: o da emoção e o da doença. Os conceitos que se relacionaram à ansiedade foram: o almejo, o temor e a expectativa. Tais conceitos indicaram que a ansiedade patológica é determinada pela conjunção de expectativa e temor, enquanto que a ansiedade emocional pode ser determinada pela mesma conjunção ou pela conjunção de almejo e expectativa. Há uma noção de espacialização do tempo (TEMPO É ESPAÇO) e uma noção de entificação dos eventos (EVENTOS SÃO OBJETOS). Juntas, essas conceptualizações sugerem um estado mental que é subestruturado pelos elementos “sujeito receptor” e “objeto da encomenda”.

Biografia do Autor

Daniel Felix da Costa Jr., Universidade Federal Fluminense

Doutorando do Programa de Pós-graduação em Estudos de Linguagem da Universidade Federal Fluminense. Bolsista de doutorado CNPq. 

Downloads

Publicado

2016-07-03

Edição

Seção

Artigo