Posições subjetivas em face da violência: traços constitutivos de memória em testemunhos de mulheres

Autores

  • Aline Fernandes Azevedo Bocchi Universidade de Franca

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-8412.2017v14n1p1808

Palavras-chave:

Testemunho, Violência, Fotografia, Corpo, Subjetividades

Resumo

Apresenta-se, neste artigo, uma reflexão acerca dos processos de subjetivação inscritos na prática testemunhal, a partir do exame de fotografias que compõe o “Projeto 1:4 retratos da violência obstétrica” e posts que o divulgam no Facebook. Por meio de uma abordagem discursiva, são analisadas as posições subjetivas inscritas neste material, voltando a atenção para as formas com as quais a violência é simbolizada na materialidade da língua e do discurso, produzindo um dizer político de denúncia da agressão e do abuso médicos. Na composição material tecida entre imagem e palavra, formulada no ensaio fotográfico, o testemunho se reveste de uma força performativa que acompanha os processos de transformação e deslocamento ideológicos, produzindo possibilidades de identificação para as mulheres em contraposição aos sentidos de naturalização da violência de gênero estrutural à sociedade patriarcal.

Biografia do Autor

Aline Fernandes Azevedo Bocchi, Universidade de Franca

Mestra em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo, doutora em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas, com pós-doutorado pela Universidade Estadual de Campinas e estágio na Université Paris 13. Atualmente é professora colaboradora - bolsista Capes PNPD no Mestrado em Linguística na Universidade de Franca.

Downloads

Publicado

2017-03-01

Edição

Seção

Artigo