A construção discursiva do obituário brasileiro no jornal Folha de S. Paulo

Jonathan Henrique Semmler, Sônia Cristina Pavanelli Daros

Resumo


Este artigo apresenta os resultados da análise de 2.284 obituários publicados na Folha de S. Paulo, entre os anos de 2007 a 2012, com o objetivo de reconhecer as características de estilo, tema e composição do gênero, considerando o enquadramento deste enunciado nas categorias jornalísticas defendidas por Costa (2010) e Marques de Mello (2010), sob as perspectivas discursivas de Bakhtin (2011) e de Maingueneau (2013). Para tanto, demonstra os resultados obtidos em dois procedimentos metodológicos que visam a elencar, quantitativa e qualitativamente, a estabilização dos elementos da composição, da temática e do estilo deste gênero discursivo e a sua relação com o jornalismo literário. Na investigação, aponta-se que o obituário brasileiro apresenta elementos que permitem comprovar a hipótese de que este enunciado enquadra-se como um gênero jornalístico informativo e utilitário, utilizando-se do diversional como recurso estilístico para amenizar o peso da morte, buscando uma forma de celebração da vida.

Palavras-chave


Obituário; Discurso; Gênero discursivo; Gêneros jornalísticos

Texto completo:

PDF/A PDF/A (English)


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-8412.2018v15n2p3001

Direitos autorais 2018 Fórum Linguístico

Creative Commons License

Esta publicação está regida por uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Fórum Linguístico, ISSNe 1984-8412, Florianópolis (Santa Catarina), Brasil