Quinhentos anos de história social-linguística do Brasil: uma retrospectiva

Autores

  • Wagner Argolo Nobre União Metropolitana de Educação e Cultura (UNIME)

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-8412.2018v15n2p3087

Palavras-chave:

Linguística histórica, Brasil, Multilinguismo, Contato linguístico

Resumo

Neste artigo, procuramos traçar os quinhentos anos de história social-linguística do Brasil, abordando, comentando e criticando momentos que consideramos cruciais ao longo de tal percurso. Assim, começamos pelo século XVI, com a chegada dos colonizadores portugueses, tratando de aspectos como a adoção do tupinambá, por parte destes, como língua de contato inicial, assim como de suas consequências. Em seguida, ainda no mesmo século, abordamos a chegada dos africanos e as consequências linguísticas que este importante fator demográfico traria para o cenário de contato linguístico nos séculos seguintes. Por fim, tratamos da situação linguística brasileira pós-Independência, com ênfase para as línguas indígenas remanescentes, para as línguas da imigração europeia e asiática, que aqui chegaram no século XIX, e para o quadro atual da língua portuguesa no Brasil.

Biografia do Autor

Wagner Argolo Nobre, União Metropolitana de Educação e Cultura (UNIME)

Mestre e Doutor em Letras, pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), e professor de Linguística e Língua Portuguesa no curso de Letras da União Metropolitana de Educação e Cultura (UNIME).

Publicado

2018-07-12

Edição

Seção

Retrospectiva