Abordagem crítica sob a ótica da ação comunicativa de habermas: gestão participativa no campus serra do IFES

Autores

  • Eglalciane Lyrio Tongo Castro Universidade Federal do Espírito Santo - UFES
  • Ricardo Roberto Behr Universidade Federal do Espírito Santo - UFES

DOI:

https://doi.org/10.5007/1983-4535.2018v11n1p276

Palavras-chave:

Administração pública, Participação, Planejamento estratégico, Teoria da ação comunicativa

Resumo

O estudo tem como objetivo compreender, de forma crítica, como se caracteriza a prática da gestão participativa no campus Serra do Ifes, a partir a partir do entendimento e do processo interativo dos servidores Técnico-administrativos (TAE) das classes C, D e E e das chefias imediatas. Para tanto, a Teoria da Ação Comunicativa - TAC de Jürgen Habermas, bem como sua proposta de democracia deliberativa foram empreendidas como marco teórico para compreensão desse processo. Esse trabalho caracteriza-se como uma pesquisa de abordagem qualitativa. Os dados empíricos foram produzidos por meio de pesquisa documental, observação participante e entrevistas semiestruturadas. Utilizou-se a análise de conteúdo para o tratamento das informações obtidas nas entrevistas. Os resultados indicam que a prática da gestão participativa caracteriza-se como um espaço estratégico para alcance do êxito e não do entendimento, onde os TAE são corresponsáveis no processo de manutenção e construção dos fenômenos que emperram o desenvolvimento de uma participação democrática.

Biografia do Autor

Eglalciane Lyrio Tongo Castro, Universidade Federal do Espírito Santo - UFES

Mestre em Administração

Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas

Universidade Federal do Espírito Santo

Ricardo Roberto Behr, Universidade Federal do Espírito Santo - UFES

Doutor

Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas

Universidade Federal do Espírito Santo

Downloads

Publicado

2018-01-01

Edição

Seção

Artigos