A Orientação Empreendedora (OE) na universidade pública: um estudo de caso

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1983-4535.2021.e74337

Palavras-chave:

Orientação Empreendedora, empreendedorismo, universidade pública, incubadora tecnológica

Resumo

Este estudo teve por objetivo analisar como a Orientação Empreendedora (OE) acontece na universidade pública, e em que circunstâncias contribui para o desenvolvimento local e regional. Trata-se de um estudo de caso de essência qualitativa e descritiva que se baseou nas dimensões da OE utilizando duas categorias de análise: (i) universidade introduz novos produtos no mercado, (ii) avaliar riscos financeiros ou tecnológicos dos projetos. O instrumento de pesquisa foi construído com base em Fernandes e Santos (2008) e aplicado a gestores e pesquisadores de uma universidade pública. A técnica metodológica foi a snowball que utiliza uma rede social de participantes inicial para ter acesso ao coletivo (OCHOA, 2015). Foram entrevistados 17 gestores e pesquisadores. Os resultados evidenciam que a universidade apresenta características de liderança, com perfil empreendedor; incentivo a criação de Empresas Juniores nos cursos de graduação; apóia a Incubadora Tecnológica da Universidade e o Parque Tecnológico do município, em parceria com a Prefeitura Municipal. Além disso, contribui para a inovação tecnológica, com ambientes colaborativos e fornecendo infraestrutura para o desenvolvimento e interação entre empresas e a universidade.

Biografia do Autor

Elaine Garcia dos Santos, Professora Adjunto da UFPel

Bacharela em Ciências Domésticas (UFPel)

Especialista em Gestão Empresarial (FURG)

Mestre em Desenvolvimento Territorial e Sistemas Agroindustriais

Alisson Eduardo Maehler, UFPel

Administrador (UFPel)

Mestre em Administração (UFSM)

Doutor em Administração (UFRGS)

Professor Associado da UFPel

Simone Portella Teixeira de Mello, UFPel

Economista (FURG)

Mestre em Educação (UFSC)

Doutora em Educação (UFRGS)

Pós Doutora em Administração (UFSC)

Referências

ALVES, F. D.; SILVEIRA, V. C. P. Evolução das desigualdades regionais no Rio Grande do Sul: espaço agrário, migração e estrutura fundiária. Revista Caminhos de Geografia, v. 9, n. 26, 2018.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa. Portugal; Edições 70 LTDA, 2011

BEUREN, I. M.; SOUZA, J. C. Em busca de um delineamento de proposta para a qualificação dos periódicos internacionais de contabilidade para o Qualis CAPES. Revista Contabilidade & Finanças, v.19, n. 46, p.44-58, 2007.

CASADO, F. L.; SILUK, J. C. M.; ZAMPIERI, N. L. V. Universidade empreendedora e desenvolvimento regional sustentável: proposta de um modelo. Revista de Administração da UFSM, Santa Maria, v. 5, edição especial, p. 633-650, 2012.

COLBARI, A. de L. Empreendedorismo e capital social no discurso institucional do SEBRAE. Revista Simbiótica. Vitória/ES, n. 6, p. 1-25, 2014.

COLBARI, A. de L. Os Desafios da formação Empreendedora na Sociedade Brasileira. XXV Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica. Brasília DF. 2008.

COSTA, A. M. da; BARROS, D. F.; CARVALHO, J. L. F. A dimensão histórica dos discursos acerca do empreendedor e do empreendedorismo. Revista de Administração Contemporânea. Curitiba, v.15, n. 2, p. 179-197, 2014

COUTINHO, J. P. As ideias conservadoras: explicadas a revolucionários e reacionários. São Paulo: Três Estrelas, 2014

COVIN, J. G.; GREEN, K. M.; SLEVIN, D. P. Strategic process effects on the entrepreneurial orientation - sales growth rate relationship. Entrepreneurship: Theory & Pratice, v. 30, n. 1, p. 57-82, 2006.

COVIN, J. G.; SLEVIN, D. P. A conceptual model of entrepreneurship as firm behavior. Entrepreneurship: Theory & Pratice, v. 16, n.1, p.7-25, 1991.

COVIN, J. G.; SLEVIN, D. P. Adherence to Plans, Risk Taking, and Environment as of Firm Growth. Journal of Tecnology Management Research, v. 9, n. 2, p. 201-237, 1998.

CUNNINGHAM, J. B.; LISCHERON, J. Defininig Entrepreneurship. Journal of Small Business Management, v. 29, n.1, p. 45-61, 1991.

DE CLERCQ, D. DIMOV, D.; THONGPAPANL, N. The moderating impact of internal social exchange processes on the entrepreneurial orientation-performance relationship. Journal of Business Venturing, v. 25, p. 87-103, 2013.

DESS, Gregory G. LUMPKING, G. T. The of entrepreneurial orientation in stimulating effective corporate entrepreneurship. The academy of Manegement Executive, vol.19, n.1, p. 147-156, 2005.

ETZKOVITZ, H. ZHOU, C. Hélice Tríplice: inovação e empreendedorismo universidade-indústria-governo. Estudos Avançados. v. 31, n. 90, São Paulo, 2017.

ETZKOWITZ, H. Hélice Tríplice: metáfora dos anos 90 descreve o mais sustentável modelo de sistema de inovação. Revista Conhecimento e Inovação, Campinas, v. 6, n. 1, 2010.

ETZKOWITZ, H.; ZHOU, C. University-industry-government: the Triplice Hélice Model for innovation. Asia/Pacific. The Monitor, v. 24, n.1, 2007.

FERNANDES, D. V. D. H.; SANTOS, C. P. Orientação empreendedora: um estudo sobre as consequências do empreendedorismo nas organizações. Revista de Administração de Empresas, v.7, n. 1, 2008.

FERREIRA, M. P.; SANTOS, J. C.; SERRA, F. A. R. Ser Empreendedor: pensar, criar e moldar a nova empresa, v. 1, São Paulo: Saraiva, 2009.

FREITAS, H.; MARTENS, C. D. P.; BOISIN, J. P.; BEHR, A. Elementos para guiar ações visando à orientação empreendedora em organizações de software. Revista de Administração. São Paulo, v. 47, n. 2, p. 163-179, 2012.

GEM. Global Entrepreneurship Monitor. Empreendedorismo no Brasil –2004: Curitiba, 2005. Disponível em: <http://www.gemconsortium.org/download/Sumario/Executivo/>. Acesso em: 12 out. 2017.

GEM. Global Entrepreneurship Monitor. Empreendedorismo no Brasil – 2010. Curitiba – IBQP. Disponível em: <http://www.gemconsortium.org/download/20Report.pdf> Acesso em: 12 out. 2017.

GODOY A. S. Introdução a pesquisa qualitativa e suas possibilidades. RAE. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v, 35, n. 2, p. 57-63, 1995.

GRÉGOIRE, D. A. et al. Is the conceptual convergence in entrepreneurship research. Entrepreneurship Theorry & Prátice, v. 3, p. 337-373, 2006.

JOHANNPETER, J. G. Inovação e atitude empreendedora, 2008. Disponível em: . Acesso em: 17 mai. 2017.

LAZZAROTTI, F.; SILVEIRA, A. L. T da; CARVALHO, C. E.; ROSSETTO, C. R. e SYCHOSKI, J. C. Orientação Empreendedora: Um Estudo das Dimensões e sua Relação com Desempenho em Empresas Graduadas. RAC. Rio de Janeiro, v. 19, n. 6, p. 673-695, 2015.

LUMPKIN, G. T.; DESS, G. G. Clarifying the entrepreneurial orientation construct and linking it to performance. The Academic of Management Review, v. 21, n.1, p. 135-272, January 1996.

MAINELA, T.; PUHAKKA, V.; SERVAIS, P. The Concepto for International Opportunity in International Entrepreneurship: a Review and a Research Agenda. International Journal of Management Reviews, v. 16, p. 105-129, 2014.

MARTENS. C. D. P.; FREITAS, H. Orientação Empreendedora nas organizações e a busca de sua facilitação. Revista Gestão Organizacional, v. 6, n. 1, p. 90-108, 2012.

MARTENS. C. D. P.; FREITAS, H. Orientação Empreendedora nas organizações e a busca de sua facilitação. Gestão Org. Revista Eletrônica de Gestão Organizacional, v.6, n.1, Jan/Abr 2008.

MARTENS. C. D. P.; FREITAS, H. Empreendedorismo no nível organizacional: um modelo conceitual para estudo da orientação empreendedora, suas dimensões e elementos. Revista ADM. MADE, Universidade Estácio de Sá. v. 11, n.1, p. 15-44, 2007.

MATTOS,F. Estado e política social na América Latina: Previdência Social. Revista Katálysi, Florianópolis, v.18, n.2, jul./dez. 2015.

MILLER, D. The correlates of entrepreneurship in three types of firms. Management Science, v. 27, n.7. p. 770-791, 1983.

MORRIS, M. H. e PAUL, G. W. The Relationship between entrepreneurship and Marketing in Established Firms. Journal of Business Venturing, v. 2, n.3, p. 247-260, 1987.

NASSIF, V. M. J. Formação empreendedora: aspectos convergentes e divergentes sob a ótica de alunos, professores, pais e empreendedores. Revista ANGRAD, v. 10, n. 2, Abril/Maio/Junho 2009, p.73-96. Disponível em <https://raep.emnuvens.com.br/raep/article/view/194> Acessado em 18 jun. 2018

NOVELI, M.; SEGATTO, A. P. Processo de cooperação Universidade-Empresa para a inovação tecnológica em um parque tecnológico: evidências empíricas e proposição de um modelo conceitual. Revista de Administração e Inovação, São Paulo, v. 9, n. 1, p. 81-105, 2012.

OCHOA, C. Amostragem não probabilística: Amostra por conveniência. 2015. Disponível em https://www.netquest.com/blog/br/blog/br/amostra-conveniencia. Acessado em junho de 2017.

PEREGRINO, F. Propriedade Intelectual. Ambiente da Inovação brasileira. Revista Locus. Ano XXII, n, 83, maio 2018.

PMI. Project Management Institute. Um guia do conjunto de conhecimentos em gerenciamento de projetos: Guia PMBOX. 5ed. Pennsylvania: PMI, 2013.

PRODANOV, C.C.; FREITAS, E. C. Metodologia do Trabalho Científico: Métodos e Técnicas da Pesquisa e do Trabalho Acadêmico. 2 ed. Novo Hamburgo: Fevale, 2013.

SALLES JR., C. A. C.; SOLER, A. M.; VALLE, J. A. S.do; RABECHINI JR, R. Gerenciamento de Riscos em Projetos. Rio de Janeiro: FGV, 2012.

SCALIONI, F. Análise qualitativa de Riscos e as bases de conhecimento. Revista de opinião techoje, 2014. Disponível em http://www.techoje.com.br/site/techoje. Acessada em 18 de março de 2019.

SCHUMPETER, J. Economistas: teoria do desenvolvimento econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo econômico. São Paulo: Abril Cultural, 1982.

SOUZA, T. F. A importância da Incubadora de empresas no desenvolvimento do empreendedorismo. In: Desafios da Educação Superior na Agenda do Novo Milênio. 8ª Mostra Acadêmica UNIMEP, Piracicaba, São Paulo: 2010.

STEVENSON, H. H; JARILLO, J. C. A paradigm of entrepreneurship: entrepreneurial manajement. Strategic Management Journal, v.11, n.5, p. 17-27, 1990.

TONDOLO, V. A. G.; TONDOLO, R. da R. P., CAMARAGO, M. E.; BITENCOURT, C. C. Orientação Empreendedora e Capacidade Dinâmicas em Ambiente de Inovação. p. 43-62. In: Gestão e Negócios desenvolvendo capacidade competitivas organizacionais. Porto Alegre: IFS, 2016.

VIEIRA, M. M. F.; ZOUAIN, D. M. Pesquisa Qualitativa em Administração. Rio de Janeiro: FGV. 2004

WANG, C. L. Entrepreneurial Orientation, Learning Orientation, and Firm Performance. Entrepreneurship Theory and Pratice, v. 32, n. 4, 2008.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 4 ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.

ZAHRA, S. A. NEUBAUM, D. O. Environmental adversity and the entrepreneurial activities of new ventures. Journal of Developmental Entrepreneurship, v.3, n.2, p. 123-140, 1998.

Publicado

2021-01-04

Edição

Seção

Artigos