O DINHEIRO TRAZ PRAZER OU SOFRIMENTO: PERCEPÇÃO DE ESTUDANTES DO SUL E NORDESTE DO BRASIL

Conteúdo do artigo principal

Luis Felipe Dias Lopes
https://orcid.org/0000-0002-2438-0226
Fernanda Cristina Barbosa Pereira Queiroz
https://orcid.org/0000-0002-1043-0288
Deoclécio Junior Cardoso da Silva
Glauco Oliveira Rodrigues
Gilnei Luiz de Moura
https://orcid.org/0000-0003-4359-0365

Resumo

Objetivo: Avaliar o comportamento financeiro de jovens universitários de regiões distintas do Brasil.
Design½Metodologia½Abordagem: Este estudo trata de uma pesquisa survey de caráter descritiva, quantitativa e comparativa, as amostras foram formadas por estudantes universitários de cidades fora de sede e que frequentam cursos de graduação nas Universidades Federais de Santa Maria, Santa Maria, RS e do Rio Grande do Norte, Natal, RN, utilizou-se de quatro dimensões da Escala de significado do dinheiro de Schwartz (1992), ‘conflito’, ‘sofrimento’, ‘prazer’ e ‘poder’. Foram recebidas 510 respostas, sendo 256 do RS e 254 do RN aplicando-se técnicas de correlação e análise de correspondência nas respostas mais relevantes.
Resultados: A partir das análises dos dados observou-se que os estudantes que gastam mais do ganham precisam de mais dinheiro e raramente ou nunca poupam o que ganham, já os que sempre poupam, já tinham responsabilidade para controlar seu dinheiro e gastam menos e os que não tem preocupação com seus gastos poupam algumas vezes e gastam igual o que ganham. Os estudantes que gastam mais sofrem mais e tem mais conflito e os que gastam menos se sentem com menos prazer e empoderamento.
Originalidade½Valor: Esta pesquisa permitiu comparar realidades distintas de dois estados Brasileiros quanto ao prazer e o sofrimento que o dinheiro remete no dia-a-dia da vida acadêmica dos estudantes universitários.
Referências
 
Banco Central do Brasil (2013). Cadernos de educação financeira – gestão finanças pessoais. Brasília: BCB.
Belk, R. A., & Wallendorf, M. (1990). The sacred meaning of money. Journal of Economic Psychology, 11, 35-67.
Dodd, N. (1997). A sociologia do dinheiro. Rio de Janeiro: FGV.
Fachin, O. (2006). Fundamentos de metodologia. 5. ed. São Paulo: Saraiva.
Gouveia, V. V., Milfont, T. L., & Fischer, R. (2009). Teoria funcionalista dos valores humanos: aplicações para organizações. Revista de Administração Mackenzie, 10(3).
Krueger, D. (1986). The last taboo: Money as symbol and reality in psycho terapy and pshcyoanalysis. New York: Brunner Mazel, Inc.
Leite, U. R., Tamayo, A., & Günther, H. (2003). Organização do uso do tempo e valores de universitários. Avaliação Psicológica, 1, 57-66.
Lopes, J. C., & Rossetti, J. P. (2002). Economia monetária. São Paulo: Atlas.
Mauss, M. (1974). Ensaio sobre a dádiva – forma e razão da troca nas sociedades arcaicas. In: Sociologia e Antropologia. São Paulo: EPU.
Menezes, I., Costa, M. E., & Campos, B. P. (1989). Valores de estudantes universitários. Cadernos de Consulta Psicológica, 5, 53-68.
Moreira, A. S. & Tamayo, A. (1999). Escala de significado do dinheiro: desenvolvimento e validação. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 15(2), 93-105.
Oliven, R. G. (2001). De olho no dinheiro dos Estados Unidos. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, 27.
 
Porto, J. B., & Tamayo, A. (2003). Escala de Valores Relativos ao Trabalho - EVT. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 19,145-152.
Schimtz, L. R., Piovesan, J. I., & Braun, L. M. S. (2021). Finanças pessoais: percepções sobre a alfabetização financeira e o bem-estar. Brazilian Jornals of Business, 3(1), 724-746.
Schwartz, S. H. (1992). Universals in the content and structure of human values: theoretical advances and empirical tests in 20 countries. Advances in experimental social psychology. Orlando, F.L. Academic, 25, 1-65.
Smith, A. (1937). An Inquiry into the Nature and Causes of the Wealth of Nations. New York: Modern Library.
Vergara, S. C. (2020) Métodos de pesquisa em Administração. 6. ed. Porto Alegre: Atlas.

Detalhes do artigo

Seção
Artigos
Biografia do Autor

Luis Felipe Dias Lopes, Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria, RS. Brasil.

Professor Associado do Depto de Ciências Administrativas. Professor do PPGA e PPGEP

Fernanda Cristina Barbosa Pereira Queiroz, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Doutora em Engenharia de Produção Professor Associada da UFRN

Deoclécio Junior Cardoso da Silva, Universidade Federal de Santa Maria

Doutorando em Administração Programa de Pós-graduação em Administração

Glauco Oliveira Rodrigues, Universidade Federal de Santa Maria

Doutorando em Administração Programa de Pos-graduação em Administração

Gilnei Luiz de Moura, Universidade Federal de Santa Maria

Doutor em Administração Professor Associado do Departamento de Ciências Administrativas

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)