Entre a Política e a Religião: fazendo rádio em uma cidade do sul da Bahia

Silvia Garcia Nogueira

Resumo


Em Sobrado, sul da Bahia, a maioria das emissoras tem como principal anunciante a prefeitura. Os radialistas ao mesmo tempo que se queixam desse quadro, segundo eles pela “falta de liberdade”, também reconhecem que sem ela as empresas teriam acabado. Paralelamente ao poder municipal junto às rádios, a Igreja Universal do Reino de Deus é dona de duas das cinco emissoras, definindo com rigor toda a sua programação, baseada em valores e interesses político-religiosos. Tal configuração do universo radiofônico local faz com que os radialistas percebam os limites do exercício profissional, nas palavras de um deles, “entre a política e a religião”. Desse modo, o artigo procura mostrar, pela análise de três casos empíricos, que o exercício profissional no município só é possível pelo pertencimento a uma rede de relações pessoais religiosa ou a uma rede política.

Palavras-chave


Rádio; Política; Religião; Interior

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

(Est-s Jorn. Mid.), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSNe 1984-6924.

Licença Creative Commons