Notícias

  • AVISO A AUTORES(AS)

    2022-04-28
    As editoras da Revista Estudos em Jornalismo e Mídia informam que a publicação não estará recebendo novas submissões de artigos até 28 de maio de 2022, tendo em vista o volume de textos submetidos e o objetivo de concluir as avaliações. O sistema será reaberto em 29 de maio. Agradecemos a compreensão e aguardamos novas submissões a partir desta data. Saiba mais sobre AVISO A AUTORES(AS)
  • Dossiê Nilson Lage: resposta a autores(as)

    2022-04-11
    Tendo em vista problemas técnicos no sistema da revista Estudos em Jornalismo e Mídia ao longo da última semana, a Comissão Editorial informa que haverá atraso na divulgação das respostas a autores(as) de trabalhos submetidos ao Dossiê  "Nilson Lage: contribuições para os estudos de jornalismo e mídia" . O prazo previsto no cronograma era 10/04/2022. O retorno a autores acerca dos pareceres será dado até o dia 22 de abril ou tão logo o sistema se restabeleça para este procedimento. Saiba mais sobre Dossiê Nilson Lage: resposta a autores(as)
  • Prorrogadas até 20 de março as submissões ao dossiê Nilson Lage na revista EJM

    2022-02-03
    A revista Estudos em Jornalismo e Mídia (EJM) prorrogou  até 20 de março de 2022 a chamada de artigos para o dossiê temático sobre as contribuições dadas à área pelo professor e pesquisador Nilson Lage.  O dossiê estimula a produção de artigos que discutam as contribuições de Nilson Lage em uma perspectiva histórica ou confrontada com as transformações atuais dos ambientes jornalístico, midiático e político. O professor e pesquisador Nilson Lage faleceu no dia 23 de agosto de 2021. A submissão de artigos deve ser feita através do sistema da revista EJM (ver abaixo).  O dossiê é parte da edição 2022/1 da revista EJM, prevista para publicação em junho de 2022 e que trará também artigos recebidos em fluxo contínuo para a seção Temas Livres.   Estudos em Jornalismo e Mídia: chamada de artigos Edição: Volume 19 nº 1 (2022/1) Dossiê - Nilson Lage: contribuições para os estudos de jornalismo e mídia   Em seus mais de 50 anos de atividade acadêmica, Nilson Lage se destacou pelo pioneirismo no esforço de compreender teoricamente as técnicas jornalísticas, os mecanismos de controle da opinião pública e os interesses ocultados pelos mesmos. A partir de sua extensa obra, que demonstra a complexidade dessas questões e ajuda a explicá-las, como intelectual militante, Nilson Lage marcou sua atuação pública pela defesa do aperfeiçoamento da profissão e do ensino superior específico em jornalismo, assim como pela denúncia da opressão e do imperialismo que sempre impediu e segue impedindo o desenvolvimento autônomo do povo brasileiro, com a cumplicidade da grande mídia nacional. Publicou os livros Ideologia e Técnica da Notícia (1979, 2001, 2012, 2021); Linguagem Jornalística (1985, com oito edições até 2006); Estrutura da Notícia (1985, com seis edições até 2006); Controle da Opinião Pública (1998); A Reportagem: teoria e técnica de entrevista e pesquisa jornalística (2001); e Teoria e Técnica do Texto Jornalístico (2005), alguns já esgotados, mas todos com os textos disponibilizados com livre acesso no site Nilson Lage: Observador do Mundo (www.nilsonlage.com.br). O dossiê voltado ao legado de Nilson Lage aos estudos de jornalismo e mídia busca artigos que discutam as suas contribuições numa perspectiva histórica ou confrontada com as transformações dos ambientes jornalístico, midiático e político na atualidade. Nesse sentido, volta-se às seguintes temáticas de interesse: Técnicas jornalísticas como objeto teórico; Desenvolvimento e mutações na linguagem jornalística; A reportagem jornalística na atualidade; Profissão e identidade jornalística na era da produção de conteúdo; Os conceitos de notícia e verdade na práxis jornalística; Controle de opinião no contexto do capitalismo de plataformas; Ideologia antinacional e antipovo na mídia hegemônica brasileira; O ensino superior do jornalismo: desafios e perspectivas. Além de outras relacionadas a sua vida e obra. Editores convidados: Eduardo Meditsch (UFSC) e Samuel Pantoja Lima (UFSC) Datas importantes: Envio de artigos: até 20 de março de 2022. Respostas dos editores aos autores: até 10 de abril de 2022. Publicação da edição: primeiro semestre de 2022. Informações adicionais: Formatação e encaminhamento dos textos: https://periodicos.ufsc.br/index.php/jornalismo/about/submissions#authorGuidelines Submissões pelo sistema eletrônico: https://periodicos.ufsc.br/index.php/jornalismo/about/submissions#onlineSubmissions  ATENÇÃO: Na página de rosto dos artigos ou nos comentários ao editor deverão constar a informação “Dossiê - Nilson Lage: contribuições para os estudos de jornalismo e mídia” Saiba mais sobre Prorrogadas até 20 de março as submissões ao dossiê Nilson Lage na revista EJM
  • Dossiê sobre as contribuições de Nilson Lage aos estudos de jornalismo recebe artigos até 07 de fevereiro

    2021-10-21
    A revista Estudos em Jornalismo e Mídia (EJM) lançou chamada de artigos para o dossiê temático sobre as contribuições dadas à área pelo professor e pesquisador Nilson Lage, falecido em 23 de agosto de 2021. O dossiê estimula a produção de artigos que discutam as contribuições de Nilson Lage em uma perspectiva histórica ou confrontada com as transformações atuais dos ambientes jornalístico, midiático e político. A submissão de artigos deve ser feita até o dia 07 de fevereiro de 2022 através do sistema da revista EJM (ver abaixo).  O dossiê é parte da edição 2022/1 da revista EJM, prevista para publicação em junho de 2022 e que trará também artigos recebidos em fluxo contínuo para a seção Temas Livres. Estudos em Jornalismo e Mídia: chamada de artigos Edição: Volume 19 nº 1 (2022/1) Dossiê - Nilson Lage: contribuições para os estudos de jornalismo e mídia Em seus mais de 50 anos de atividade acadêmica, Nilson Lage se destacou pelo pioneirismo no esforço de compreender teoricamente as técnicas jornalísticas, os mecanismos de controle da opinião pública e os interesses ocultados pelos mesmos. A partir de sua extensa obra, que demonstra a complexidade dessas questões e ajuda a explicá-las, como intelectual militante, Nilson Lage marcou sua atuação pública pela defesa do aperfeiçoamento da profissão e do ensino superior específico em jornalismo, assim como pela denúncia da opressão e do imperialismo que sempre impediu e segue impedindo o desenvolvimento autônomo do povo brasileiro, com a cumplicidade da grande mídia nacional. Publicou os livros Ideologia e Técnica da Notícia (1979, 2001, 2012, 2021); Linguagem Jornalística (1985, com oito edições até 2006); Estrutura da Notícia (1985, com seis edições até 2006); Controle da Opinião Pública (1998); A Reportagem: teoria e técnica de entrevista e pesquisa jornalística (2001); e Teoria e Técnica do Texto Jornalístico (2005), alguns já esgotados, mas todos com os textos disponibilizados com livre acesso no site Nilson Lage: Observador do Mundo (www.nilsonlage.com.br). O dossiê voltado ao legado de Nilson Lage aos estudos de jornalismo e mídia busca artigos que discutam as suas contribuições numa perspectiva histórica ou confrontada com as transformações dos ambientes jornalístico, midiático e político na atualidade. Nesse sentido, volta-se às seguintes temáticas de interesse: Técnicas jornalísticas como objeto teórico; Desenvolvimento e mutações na linguagem jornalística; A reportagem jornalística na atualidade; Profissão e identidade jornalística na era da produção de conteúdo; Os conceitos de notícia e verdade na práxis jornalística; Controle de opinião no contexto do capitalismo de plataformas; Ideologia antinacional e antipovo na mídia hegemônica brasileira; O ensino superior do jornalismo: desafios e perspectivas. Além de outras relacionadas a sua vida e obra. Editores convidados: Eduardo Meditsch (UFSC) e Samuel Pantoja Lima (UFSC) Datas importantes: Envio de artigos: até 07 de fevereiro de 2022. Respostas dos editores aos autores: até 20 de março de 2022. Publicação da edição: primeiro semestre de 2022. Informações adicionais: Formatação e encaminhamento dos textos: https://periodicos.ufsc.br/index.php/jornalismo/about/submissions#authorGuidelines Submissões pelo sistema eletrônico: https://periodicos.ufsc.br/index.php/jornalismo/about/submissions#onlineSubmissions ATENÇÃO: Na página de rosto dos artigos ou nos comentários ao editor deverão constar a informação “Dossiê - Nilson Lage: contribuições para os estudos de jornalismo e mídia”   Saiba mais sobre Dossiê sobre as contribuições de Nilson Lage aos estudos de jornalismo recebe artigos até 07 de fevereiro
  • Publicada nova edição da Estudos em jornalismo e Mídia

    2021-07-09
    A revista Estudos em Jornalismo e Mídia, do PPGJOR/UFSC, acaba de publicar sua edição 2021-1, que traz 16 artigos no dossiê especial Narrativas jornalísticas, Testemunhos e Subjetividades, coordenado pelas editoras convidadas Fabiana Moraes (UFPE) e Marta Maia (UFOP).  A edição traz ainda três artigos de temáticas livres, uma entrevista com a pesquisadora Márcia Veiga e duas resenhas de livros.               Saiba mais sobre Publicada nova edição da Estudos em jornalismo e Mídia
  • EJM recebe artigos em fluxo contínuo

    2021-06-08
    A revista Estudos em Jornalismo e Mídia continua recebendo artigos em fluxo continuo. A equipe da EJM está em fase de produção da edição 2021-1, prevista para publicação no final deste primeiro semestre. A edição trará o dossiê temático "Narrativas jornalísticas, testemunhos e subjetividades", que teve como editoras convidadas as professoras e pesquisadoras Fabiana Moraes (UFPE) e Marta Maia (UFOP). Além do dossiê, a edição incluir´á artigos na seção Temas Livres. Já a edição 2021-2, com previsão de publicação em dezembro de 2021, será toda composta por artigos de Temas Livres.  Para fazer a sua submissão, atente para as diretrizes a autores(as) disponíveis aqui no site da revista EJM. Saiba mais sobre EJM recebe artigos em fluxo contínuo
  • AVISO A AUTORES(AS)

    2021-04-20
    As editoras da Revista Estudos em Jornalismo e Mídia informam que não estarão recebendo novas submissões de artigos até 20 de maio de 2021, tendo em vista o grande volume de textos submetidos e o objetivo de concluir todas as avaliações. O sistema será reaberto em 21 de maio. Agradecemos a compreensão. Saiba mais sobre AVISO A AUTORES(AS)
  • Revista EJM publica dossiê sobre 100 anos do rádio

    2020-12-19
    Os 100 anos do rádio são tema do dossiê especial da revista Estudos em Jornalismo e Mídia (EJM), do PPGJOR/UFSC, que acaba de ser publicada. A edição, relativa ao segundo semestre de 2020, apresenta 20 artigos, dos quais 11 fazem parte do especial “100 anos de Metamorfose – Rádio e Inovação”, coordenado pelas professoras Debora Cristina Lopez (UFOP) e Valci Zuculoto (UFSC) e pelo professor Marcelo Kischinhevsky (UFRJ). Como elas e ele apontam na apresentação do especial, são 11 trabalhos diversificados, que dão um panorama da produção contemporânea de pesquisadores brasileiros da radiofonia, convidam os leitores a pensar o meio e demonstram a vitalidade em seu centenário.  Saiba mais sobre Revista EJM publica dossiê sobre 100 anos do rádio
  • Revista EJM publica dossiê sobre 100 anos do rádio

    2020-12-19
    Os 100 anos do rádio são tema do dossiê especial da revista Estudos em Jornalismo e Mídia (EJM), do PPGJOR/UFSC, que acaba de ser publicada. A edição, relativa ao segundo semestre de 2020, apresenta 20 artigos, dos quais 11 fazem parte do especial “100 anos de Metamorfose – Rádio e Inovação”, coordenado pelas professoras Debora Cristina Lopez (UFOP) e Valci Zuculoto (UFSC) e pelo professor Marcelo Kischinhevsky (UFRJ). Como elas e ele apontam na apresentação do especial, são 11 trabalhos diversificados, que dão um panorama da produção contemporânea de pesquisadores brasileiros da radiofonia, convidam os leitores a pensar o meio e demonstram a vitalidade em seu centenário. Além desses 11 trabalhos, a segunda edição anual da revista EJM traz nove artigos da seção Temas Livres. Eles abordam temáticas diversAs, como assessoria de imprensa, ensino de fotojornalismo, reportagem multimídia, transformações no imaginário do Jornalismo, e a relação do discurso jornalístico com as vozes das classes populares e com a alteridade. A edição traz ainda duas resenhas de livros e uma entrevista com a professora e pesquisadora chilena Cláudia Mellado Ruiz, da Escola de Jornalismo da Universidade Católica de Valparaíso (Chile), que coordena duas pesquisas internacionais - a Journalistic Role Performance (JRP) e a JRP-COVID. A próxima edição da EJM, prevista para junho de 2021, trará o dossiê “Narrativas jornalísticas, testemunhos e subjetividades”, que está sendo coordenado pelas editoras convidadas Marta Maia (UFOP) e Fabiana Moraes (UFPE). A revista também continua recebendo artigos em fluxo contínuo.  A edição 2020-1 pode ser acessada a partir do link: https://periodicos.ufsc.br/index.php/jornalismo/issue/view/2869/showToc Saiba mais sobre Revista EJM publica dossiê sobre 100 anos do rádio
  • Dossiê “Narrativas jornalísticas, testemunhos e subjetividades”: retorno a autores até 20 de dezembro

    2020-08-30
    Autores que submeteram artigo para o dossiê “Narrativas jornalísticas, testemunhos e subjetividades”, da revista Estudos em Jornalismo e Mídia (EJM), vão receber o retorno sobre suas submissões até o dia 20 de dezembro de 2020.  O prazo foi prorrogado devido à significativa quantidade de submissões recebidas. Isso não afeta, porém, o prazo para a publicação da edição com o dossiê, prevista para o final do primeiro semestre de 2021. A chamada da edição com o dossiê temático (2021-1) estimulou a produção de artigos abordando os seguintes temas: narrativas jornalísticas dissidentes, decoloniais e/ou pós-coloniais; narrativas em disputa no jornalismo atual; hegemonias discursivas nas coberturas de eventos/fenômenos traumáticos; o lugar do testemunho na produção jornalística; questões sobre ativismo, objetividade e subjetividade; análises problematizadoras sobre histórias de vidas, perfis e biografias; rupturas epistêmicas/práticas do jornalismo classista, machista, sexista, racista e heterossexista; a subjetividade como estratégia para a realização de um jornalismo que também reflita sobre si; consensos e dissensos nos processos interativos comunicacionais; jornalistas e problematizações sobre raça, gênero, classe e exclusão geográfica.  Como editoras convidadas para o dossiê estão as professoras Fabiana Moraes (UFPE) e Marta Maia (UFOP).  Confira abaixo a chamada completa para o dossiê. A revista EJM continua recebendo artigos em fluxo contínuo para a seção "Temas Livres". Saiba mais sobre Dossiê “Narrativas jornalísticas, testemunhos e subjetividades”: retorno a autores até 20 de dezembro
  • Publicada nova edição da revista EJM e divulgação das próximas edições

    2020-06-19
    A primeira edição de 2020 da revista Estudos em Jornalismo e Mídia (EJM), do Programa de Pós-Graduação em Jornalismo (PPGJOR/UFSC), foi publicada ontem e está disponível para leitura. A edição semestral traz 17 artigos, sendo que nove deles compõem a segunda parte do Dossiê “Qualidade no Jornalismo, Democracia e Ética”, elaborado com a colaboração dos editores convidados Carlos Camponez (Universidade de Coimbra) e Rogério Christofoletti (UFSC). Outros oito artigos fazem parte da seção Temas Livres. Há ainda duas resenhas e uma entrevista com a pesquisadora brasileira Maria Helena Weber. A edição 2020-1 pode ser acessada a partir do link: https://periodicos.ufsc.br/index.php/jornalismo/issue/view/2869/showToc Saiba mais sobre Publicada nova edição da revista EJM e divulgação das próximas edições
  • Dossiê "Narrativas jornalísticas, testemunhos e subjetividades" recebe artigos até 31 de agosto

    2020-05-14
    A revista Estudos em Jornalismo e Mídia (EJM) está com chamada aberta para o dossiê “Narrativas jornalísticas, testemunhos e subjetividades” até o dia 31 de agosto de 2020. Essa edição especial estimula a produção de artigos que tratem dos seguintes temas: narrativas jornalísticas dissidentes, decoloniais e/ou pós-coloniais; narrativas em disputa no jornalismo atual; hegemonias discursivas nas coberturas de eventos/fenômenos traumáticos; o lugar do testemunho na produção jornalística; questões sobre ativismo, objetividade e subjetividade; análises problematizadoras sobre histórias de vidas, perfis e biografias; rupturas epistêmicas/práticas do jornalismo classista, machista, sexista, racista e heterossexista; a subjetividade como estratégia para a realização de um jornalismo que também reflita sobre si; consensos e dissensos nos processos interativos comunicacionais; jornalistas e problematizações sobre raça, gênero, classe e exclusão geográfica.  Como editoras convidadas para o dossiê estão as professoras Fabiana Moraes (UFPE) e Marta Maia (UFOP).  Confira abaixo a chamada completa para o dossiê. Saiba mais sobre Dossiê "Narrativas jornalísticas, testemunhos e subjetividades" recebe artigos até 31 de agosto
  • Direito de resposta no jornalismo: instrumento de cidadania e democracia

    2020-05-12
    Uma garantia de possibilidade da correção de distorções publicadas nos meios de comunicação, de dar espaço à vozes silenciadas, dos direitos de informar e de acesso à informação. Com um comparativo entre a atual legislação brasileira e a anterior, que rege o direito de resposta, Marcela Duarte D’Alessandro e Jales Dantas da Costa refletem neste artigo como esse instrumento legal pode impulsionar o exercício cidadão e democrático do jornalismo, quando comprometido com a ética e a verdade. Na análise embasada no percurso histórico das leis nacionais, bem como de casos internacionais, além de aspectos sobre a liberdade de imprensa e de expressão, a dupla avalia que o direito de resposta sofreu mudanças positivas e negativas. Isso porque, apesar dos avanços, a lei vigente ainda herda “em sua essência características da norma editada durante o período militar no Brasil”. A seguir o link para o artigo completo: https://periodicos.ufsc.br/index.php/jornalismo/article/view/1984-6924.2019v16n2p131/41762 Saiba mais sobre Direito de resposta no jornalismo: instrumento de cidadania e democracia
  • O papel da imprensa em língua portuguesa de Macau: a ética, a ideologia do profissionalismo e o Código Deontológico dos Jornalistas

    2020-05-11
    A imprensa de Macau, Região Autônoma Especial da China, é dividida entre publicações na língua portuguesa e chinesa (suas línguas oficiais), e tem dois códigos deontológicos diferentes. No entanto, não há nenhuma entidade reguladora ou sancionadora da atividade dos jornalistas, o que dificulta saber como colocar em prática a ética no trabalho cotidiano de informação. O autor José Manuel da Silva Simões explora essa questão no artigo “O papel da imprensa em língua portuguesa de Macau: a ética, a ideologia do profissionalismo e o Código Deontológico dos Jornalistas”. Um dos pontos destacados pelo autor diz respeito à ausência de casos reportados de censura, embora o mais recente relatório de direitos humanos de Macau sugira a prática de autocensura por órgãos de comunicação local quando se trata de noticiar fatos desfavoráveis ao governo. O artigo completo está no link: https://periodicos.ufsc.br/index.php/jornalismo/article/view/1984-6924.2019v16n2p123 Saiba mais sobre O papel da imprensa em língua portuguesa de Macau: a ética, a ideologia do profissionalismo e o Código Deontológico dos Jornalistas
  • Como avaliar a responsabilidade do jornalismo frente à cidadania

    2020-05-04
    Juan Carlos Suárez Villegas aposta na qualidade da informação como diferencial dos jornalistas em meio a outros agentes da infoesfera digital. Mas alerta que valores éticos não são fundamentais apenas ao nível individual.. "A ética jornalística não pode ser condicionada a um simples voluntarismo ético, mas também deve se estender à ética dos meios de comunicação e de suas organizações profissionais", escreve o autor. Para assegurar as responsabilidades da mídia, são criados documentos e mecanismos que servem de instrumentos para prestação de contas. Neste artigo, Villegas apresenta algumas das iniciativas espanholas para proteger a ética dos profissionais e meios de comunicação. Um exemplo é a Comissão de Arbitragem, Reclamações e Deontologia da Federação de Associações de Jornalistas da Espanha (FAPE), "que, em mais de dez anos de existência, já emitiu 150 resoluções que constituem uma importante bagagem doutrinária da deontologia do jornalismo". A pesquisa em andamento do autor também vai analisar os sistemas de responsabilização da mídia em seis comunidades autônomas: Andaluzia, Catalunha, Galícia, Madri, País Basco e Valência. Saiba mais sobre Como avaliar a responsabilidade do jornalismo frente à cidadania
  • SEO no Jornalismo: títulos testáveis e suas implicações

    2020-04-30
    Atrair a atenção e o clique de quem lê. O objetivo deste artigo de Thaisa Bueno e Lucas Santiago Arraes Reino é discutir como a ferramenta SEO (Search Engine Optimization), utilizada para monitoramento de métricas e estratégias de otimização dos mecanismos de busca na internet, pode transformar a narrativa, a produção e o consumo de conteúdos jornalísticos. Com foco principal nos títulos, nas rotinas produtivas e de edição, Bueno e Reino utilizam entrevistas com jornalistas de cinco veículos brasileiros como metodologia. Os critérios para a escolha dos veículos consideraram linhas editoriais distintas, a abrangência nacional/regional e aqueles nativos ou que migraram do impresso para o digital. Dentre as considerações, a dupla aponta que o assunto é ainda pouco debatido nas redações e que “o SEO altera a produção e consumo de conteúdo em ambientes digitais porque muda a lógica de quais termos usar, quais palavras destacar, entre outras técnicas de otimização”. Acesse o link para o artigo: https://periodicos.ufsc.br/index.php/jornalismo/article/view/1984-6924.2019v16n2p98/41759 Saiba mais sobre SEO no Jornalismo: títulos testáveis e suas implicações
  • Jornalismo, gestão da qualidade e regulação: estudo comparado de 42 corporações de mídia

    2020-04-27
    A pesquisa apresentada por Danilo Rothberg e Bibiana Garrido no artigo “Jornalismo, gestão da qualidade e regulação: estudo comparado de 42 corporações de mídia” avalia as condições de existência, conteúdo e acesso de políticas de qualidade editorial no jornalismo, a partir da análise comparativa de jornais impressos e emissoras de radiodifusão públicas do Brasil e do Reino Unido. Para os autores, práticas de qualidade jornalística, tais como a preocupação com a diversidade, a pluralidade e o rigor na apuração são estabelecidos por instrumentos como códigos editoriais e códigos de ética. A análise documental desses instrumentos foi a metodologia adotada pelo estudo, que levantou três chaves de interpretação para os resultados: a) da qualidade como desdobramento das políticas normativas; b) qualidade como diferencial de mercado; e c) qualidade como simulacro. Leia o artigo completo neste link: https://periodicos.ufsc.br/index.php/jornalismo/article/view/1984-6924.2019v16n2p85/41758 Saiba mais sobre Jornalismo, gestão da qualidade e regulação: estudo comparado de 42 corporações de mídia
  • Imprensa feminista e a cobertura das eleições de 2018 no Brasil

    2020-04-23
    A cobertura da imprensa feminista durante o período eleitoral de 2018 reflete princípios da ética feminista brasileira? Essa é a pergunta que norteia o artigo de Caroline Luvizotto e Heloisa dos Santos. As autoras analisaram matérias produzidas pela Revista AzMina, Gênero e Número e Portal Catarinas. Entre seus resultados, estão a predominância de mulheres como fontes consultadas nas reportagens. Para Luvizotto e Santos, isso seria um indício de aplicação da ética feminista no jornalismo, já que amplia a expressão do ponto de vista feminino. Outra característica resultante é a tematização das pautas, que promovem e discutem direitos das mulheres na política. Na síntese das autoras, “o direcionamento às questões de gênero, assim, significa um enriquecimento das abordagens possíveis na cobertura jornalística”. Acesse o artigo completo aqui. Saiba mais sobre Imprensa feminista e a cobertura das eleições de 2018 no Brasil
  • A rede de checagem da agência Lupa

    2020-04-20
    Verdadeiro e falso possuem nuances, explicações e contextos complexos. A pesquisadora Kassia Nobre dos Santos apresenta o jornalismo moderno como uma construção também complexa, que necessita de constante repensar sobre seu modo de fazer, em diálogo com a sociedade. A autora retoma as origens da checagem e descreve que,  junto com a apuração aprofundada, este pilar da profissão ganha nova função na atualidade. Agora, encontrar equívocos e evidenciar mentiras são produtos jornalísticos cada vez mais valorizados. Como estudo de caso, Santos apresenta a Lupa, primeira agência brasileira de checagem de notícias. Os processos de sustentação e os nós da rede de criação da Lupa são analisados, demonstrando que a complexidade no fazer jornalístico pode ser uma importante ferramenta de combate à indústria da desinformação. Confira o artigo completo em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/jornalismo/article/view/1984-6924.2019v16n2p59/41756 Saiba mais sobre A rede de checagem da agência Lupa
  • Polarização política e a querela das fake news é tema desta edição da EJM

    2020-04-16
    No artigo “Jornalismo, polarização política e a querela das fake news”, Luis Felipe Miguel discute a posição da imprensa brasileira diante do problema das notícias falsas em um contexto de crescente polarização política, a qual o próprio jornalismo também ajudou a alimentar. O texto é dividido em duas seções: na primeira, o autor fala sobre os desafios trazidos pelas tecnologias ao jornalismo profissional, e discute como o discurso sobre as fake news é mobilizado para reforçar a posição tradicional do jornalismo na sociedade: noticiar aquilo que é importante, e trazer informação confiável. Na segunda seção, Miguel analisa a posição assumida pela imprensa brasileira no contexto do avanço do bolsonarismo. Para ele, as crises em paralelo da democracia liberal e do jornalismo são reflexos de suas limitações históricas, e não têm como ser combatidas simplesmente com a aspiração de uma improvável volta ao passado. Leia o artigo completo: https://periodicos.ufsc.br/index.php/jornalismo/article/view/1984-6924.2019v16n2p46/41755 Saiba mais sobre Polarização política e a querela das fake news é tema desta edição da EJM
  • Fake news como fenômeno de comunicação política é tema de artigo da última edição da EJM

    2020-04-13
    Para Wilson Gomes e Tatiana Dourado, fake news não são um problema exclusivo do jornalismo, mas também da política. Em artigo publicado na EJM, os autores analisaram 14 relatos falsos que circularam durante as eleições de 2018, sobre fraudes nas urnas eleitorais. Um dos resultados é que a mimetização de técnicas jornalísticas não foi tão presente nos textos. Gomes e Dourado concluem que eles são menos "news" do que "fake", já que o amadorismo seria uma característica relevante desses relatos. Leia o artigo completo aqui. Saiba mais sobre Fake news como fenômeno de comunicação política é tema de artigo da última edição da EJM
  • Desinformação por meio das fake news é tema da última edição da EJM

    2020-04-12
    "O novo ecossistema mediático e a desinformação como estratégia política dos populismos". Neste ensaio para o vol. 1 do dossiê “Qualidade no Jornalismo, Democracia e Ética”, o professor João Carlos Correia (Universidade Beira Interior/ Portugal) aborda a desinformação como um fenômeno resultante da fragmentação política em contextos de debate público e campanhas eleitorais populistas. Particularmente, as características das fake news são debatidas desde a contribuição delas para a formação de um novo ecossistema mediático. A partir de casos ocorridos em países europeus, o autor reflete sobre outras consequências que ultrapassam a propagação de notícias falsas em si, apontando questões sociais mais profundas. Para ler o artigo completo, acesse o link: https://periodicos.ufsc.br/index.php/jornalismo/article/view/1984-6924.2019v16n2p23/41933  Saiba mais sobre Desinformação por meio das fake news é tema da última edição da EJM
  • Dossiê "100 anos de metamorfose – Rádio e inovação" recebe artigos até 30 de outubro

    2019-09-19
    A revista Estudos em Jornalismo e Mídia (EJM) está com chamada aberta para o dossiê 100 anos de metamorfose – Rádio e inovação até o dia 30 de outubro de 2019. Como editores convidados para o dossiê estão os professores Valci Zuculoto (UFSC), Marcelo Kischinhevsky (UFRJ) e Debora Cristina Lopez (UFOP). Abaixo confira a chamada completa para o dossiê. Saiba mais sobre Dossiê "100 anos de metamorfose – Rádio e inovação" recebe artigos até 30 de outubro
  • Publicada nova edição da revista EJM sobre “Jornalismo e Crítica de Mídia”

    2019-07-12
    A revista Estudos em Jornalismo e Mídia (EJM) acaba de publicar a primeira edição do volume 16, referente ao primeiro semestre de 2019. Esta edição foi elaborada com a excelente colaboração das editoras convidadas Gislene da Silva (UFSC) e Rosana de Lima Soares (USP) que coordenaram a avaliação e seleção dos 14 artigos que compõem o dossiê Apreciações culturais e políticas na crítica de mídia. Além desses artigos do dossiê, a revista conta ainda com quatro artigos na seção Temas Livres, além de uma entrevista e uma resenha. Saiba mais sobre Publicada nova edição da revista EJM sobre “Jornalismo e Crítica de Mídia”
  • Revista EJM publica nova edição e abre chamadas para os dossiês de três edições especiais

    2019-01-16
    A Equipe Editorial da revista Estudos em Jornalismo e Mídia–EJM (Qualis B1) apresenta a segunda edição semestral de 2018, do volume 15, com dez artigos de Temas Livres que abarcam abordagens sobre “Diversidade, produção e recepção”, uma entrevista e uma resenha. Essa edição pode ser acessada no link: https://periodicos.ufsc.br/index.php/jornalismo/issue/view/1984-6924.2018v15n2 Além disso, a equipe da EJM comunica que estão abertas as chamadas para três dossiês a serem publicados em suas próximas edições: 1) Crítica de Mídia, com prazo de submissão até 20 de fevereiro de 2019; 2) Qualidade no Jornalismo, Democracia e Ética , com prazo de submissão até 30 de março de 2019; e  3) Rádio e Inovação, com prazo de submissão até 30 de julho de 2019. Saiba mais sobre Revista EJM publica nova edição e abre chamadas para os dossiês de três edições especiais
  • Publicada nova edição da revista EJM sobre “Pós-Graduação em Jornalismo no Brasil e 10 anos do Posjor UFSC”

    2018-01-18
    O volume 14 da Estudos em Jornalismo e Mídia (EJM), segunda edição de 2017, com o Núcleo Temático “Pós-Graduação em Jornalismo no Brasil” é inspirado nas comemorações dos 10 anos do Programa de Pós-Graduação em Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina (PosJor-UFSC).  Saiba mais sobre Publicada nova edição da revista EJM sobre “Pós-Graduação em Jornalismo no Brasil e 10 anos do Posjor UFSC”