O papel da imprensa em língua portuguesa de Macau: a ética, a ideologia do profissionalismo e o Código Deontológico dos Jornalistas

José Manuel da Silva Simões

Resumo


Em Macau, Região Autónoma Especial da China, existem dois códigos deontológicos dos jornalistas: um elaborado pela Associação de Imprensa em Português e Inglês de Macau e outro pela Associação de Jornalistas de Macau, não havendo no território nenhuma entidade reguladora nem ninguém que administre as regras ou sancione a atividade dos jornalistas, não sendo conhecidos nem reportados casos de censura. Todavia, e segundo o mais recente relatório dos direitos humanos referente a esta pequena região da Ásia, “o Governo deu passos para limitar a cobertura de notícias desfavoráveis”, admitindo a prática de autocensura por órgãos de comunicação social.


Palavras-chave


Códigos; Ideologia; Autocensura; Reparos

Texto completo:

PDF/A

Referências


CORNU, Daniel, Journalisme et vérité, Autre Temps, Genebra, 1998.

CORREIA, Fernando, Os Jornalistas e as notícias, Editorial Caminho, Lisboa, 1997.

ENCARNAÇÃO, José Miguel, “Imprensa Portuguesa de Macau – Enquadramento na realidade jurídica e social da RAEM”, Administração, n.81, vol. XXI, 2008.

KANT, E., Fundamentação da metafísica dos costumes, trad. port.,

Editora Atlântida, Coimbra, 1960.

WARD, Stephen J. A. “Ethics for the New Mainstream.” In The New Journalist: Roles, Skills, and Critical Thinking, Eds. Paul Benedetti, Tim Currie and Kim Kierans: Edmond Montgomery Publications, Toronto, 2010.

WOLTON, Dominique, Penser la communication, Flammarion, Paris, 1997.

WOODROW, Alain, Informação manipulação, Publicações Dom Quixote, Lisboa, 1991.

ZANTOVSKY, Petr, Ceská politika a media po roce 1989, Institut Václava Klause, Praga, 2013.




DOI: https://doi.org/10.5007/1984-6924.2019v16n2p123

(Est-s Jorn. Mid.), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSNe 1984-6924.

Licença Creative Commons