Upton Sinclair e as origens da crítica à imprensa segundo o modelo da propaganda

Francisco Rüdiger

Resumo


 

Upton Sinclair adquiriu popularidade internacional como jornalista e literato de origem norte-americana, mas foi também um dos primeiros a elaborar uma reflexão crítica e sistemática sobre a fortuna da imprensa no século XX. Como Lippmann, o autor viveu e reagiu com radicalidade à crise em que entraram as instituições liberais após a I Guerra Mundial. Diferentemente daquele, contudo, Sinclair assumiu em suas análises um viés político libertário e trabalhista. Segundo ele, a ascensão do jornalismo informativo, então promovida pela grande empresa capitalista, não era senão uma forma de seu ingresso num estágio superior de propaganda, o da propaganda disfarçada de objetividade científica. O artigo examina suas ideias, situa-as em seu contexto de proposição e, enfim, pensa suas atualidade intelectual e epistemológica, considerando os debates sobre o jornalismo originados de obras como as de Chomsky e Schudson.


Palavras-chave


Upton Sinclair; História do pensamento jornalístico; Teorias do jornalismo

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-6924.2013v10n1p103

(Est-s Jorn. Mid.), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSNe 1984-6924.

Licença Creative Commons