A resistência das mulheres na ditadura militar brasileira: imprensa feminista e práticas de ativismo

Karina Janz Woitowicz

Resumo


 

Discutir o papel da imprensa feminista na tematização dos direitos das mulheres e no processo de organização do movimento feminista no Brasil, no contexto da ditadura militar. Este é o propósito do presente artigo, que parte de uma caracterização dos jornais feministas que circularam entre os anos 1970 e 80 para debater os contrastes entre as lutas gerais, pelo fim do regime autoritário, e as lutas específicas das mulheres, repercutidas páginas da imprensa alternativa. As marcas da dupla militância, nos partidos políticos e no movimento feminista, revelam um campo de disputas que ecoa nos jornais, produzindo tensões e provocando desafios para o discurso e a prática feminista, em meio às lutas pela democracia.


Palavras-chave


Imprensa Alternativa; Movimentos Sociais; História da Imprensa; Ativismo Midiático

Texto completo:

artigo


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-6924.2014v11n1p104

(Est-s Jorn. Mid.), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSNe 1984-6924.

Licença Creative Commons