Jornalismo e ditadura em Florianópolis: sobre o jornal O Estado

Leani Budde, Alexandre Fernandez Vaz

Resumo


 

O regime militar no Brasil teve entre suas características o domínio ideológico e o controle social, exercido através dos meios de comunicação. Com o apoio explícito de jornais, rádios e TVs, ou por meio da censura às informações divulgadas, o regime se consolidou e permitiu o fortalecimento de monopólios na área de comunicação. Em Florianópolis, apesar do apoio inicial ao regime, o jornal O ESTADO passa por reformulações gráficas e editoriais justamente no período de maior recrudescimento da ditadura, atingindo então, contraditoramente, o período mais expressivo em termos jornalísticos. Deixa de ter a preferência como porta-voz dos militares, que optam pela RBS – Rede Brasil Sul de Comunicações, do Rio Grande do Sul, ao conceder ao grupo a outorga da concessão de TV, que também era disputada por O ESTADO.


Palavras-chave


Ditadura Militar; Monopólio Comunicacional; Jornalismo Impresso

Texto completo:

artigo


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-6924.2014v11n1p191

(Est-s Jorn. Mid.), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSNe 1984-6924.

Licença Creative Commons