Um acontecimento em disputa: sentidos da exumação de Jango

Autores

  • Terezinha Silva Universidade Federal de Minas Gerais
  • Paula Guimarães Simões Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-6924.2014v11n1p34

Palavras-chave:

Acontecimento, exumação de João Goulart, golpe de 1964.

Resumo

 

O objetivo deste texto é analisar a exumação dos restos mortais do ex-presidente João Goulart, ocorrida em 2013, a partir da discussão teórico-metodológica sobre acontecimento. Tomando como objeto de análise textos jornalísticos publicados no jornal Zero Hora, buscamos identificar como se realiza a descrição, a narração e a recepção pública dessa “segunda morte” de Jango. A análise revela que disputas de sentido foram instauradas em torno desse acontecimento, visto tanto como uma possibilidade de retratação histórica quanto como um gasto público despropositado. Essas disputas simbólicas expressam o modo como o acontecimento afeta de diferentes maneiras os públicos que convoca (e constitui) e apontam possibilidades de ressignificação da narrativa acerca do golpe de 1964.

Biografia do Autor

Terezinha Silva, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutora em Comunicação Social. É professora colaborada do Departamento de Comunicação da Universidade Federal de Minas Gerais e pesquisadora associada ao GRIS/UFMG (Grupo de Pesquisa em Imagem e Sociabilidade).

Paula Guimarães Simões, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutora em Comunicação Social. É professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social da Universidade Federal de Minas Gerais e pesquisadora do GRIS/UFMG (Grupo de Pesquisa em Imagem e Sociabilidade).

Downloads

Publicado

2014-05-04

Edição

Seção

Núcleo Temático