Silêncios permissivos: os cadernos especiais da Folha de S. Paulo e Jornal do Brasil no 10º ano do regime militar

Álvaro Nunes Larangeira

Resumo


 

A partir do entendimento do silêncio como sujeito de um processo de conexão ideológica e percebendo a disposição/supressão morfológica do material jornalístico como elemento da camada macroproposicional do discurso, tem-se a tese de os silenciamentos ou redirecionamentos analíticos dos jornais Folha de S. Paulo e Jornal do Brasil nas edições do 10º ano do regime militar, em 31 de março de 1974, expressarem a identificação do objeto de estudo, no caso a mídia, com o projeto da edificação de um regime político-econômico ideal, o qual seria proporcionado pela sociedade liberal capitalista, sendo aceitável, portanto, passar inclusive por governos/ditaduras militares para alcançar o fim último.


Palavras-chave


Silêncio Permissivo; Imprensa; Regime Militar

Texto completo:

artigo


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-6924.2015v12n2p216

(Est-s Jorn. Mid.), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSNe 1984-6924.

Licença Creative Commons