Ondas econômicas além das medidas: incomparáveis dívidas e riquezas brasileiras nas páginas do New York Times

Ivan Paganotti

Resumo


 

A cobertura da grande mídia internacional pode apresentar alinhamento liberal ao tratar de economias emergentes como a brasileira. Para avaliar a manutenção do receituário neoliberal como fonte das ponderações econômicas midiáticas, é possível balizar a análise de reportagens publicadas por um dos maiores representantes da grande mídia internacional – o diário norte-americano The New York Times e seu ex-correspondente Larry Rohter – em relação às propostas de reforma econômica e abertura de mercados, defendidas pelo chamado “Consenso de Washington”. Este artigo pretende avaliar como a cobertura econômica do New York Times, em um longo período de tempo (de 1985 a 2009) transformou sua avaliação sobre o Brasil, reposicionando o país entre o polo negativo e o positivo das comparações em índices econômicos.


Palavras-chave


Correspondentes internacionais; Jornalismo; Economia

Texto completo:

artigo


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-6924.2016v13n1p131

(Est-s Jorn. Mid.), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSNe 1984-6924.

Licença Creative Commons