Narrativas do trauma no jornalismo local: o rompimento da barragem da Samarco em Mariana

Karina Gomes Barbosa, André Luís Carvalho

Resumo


 

Este artigo busca analisar as estratégias narrativas empregadas pelo jornalismo laboratorial universitário marianense para construir uma narrativa do trauma nas páginas do jornal Lampião. O objetivo é perceber como o veículo materializa a experiência do rompimento da barragem do Fundão, pertencente à Samarco, em Mariana (MG), evento traumático das coletividades locais, por meio de sua narração, compreendendo o jornalismo contemporâneo como meio e possibilidade para tal. Ao mesmo tempo, o trabalho procura problematizar tal estratégia de construção do acontecimento catastrófico nas páginas de jornais. Nos debruçamos sobre o texto impresso nas matérias do jornal com o aporte das abordagens psicanalíticas sobre o trauma e estudos do campo do jornalismo sobre a cobertura de riscos e catástrofes, ancorados na análise de conteúdo.


Palavras-chave


Trauma; Narrativa; Jornalismo local

Texto completo:

ARTIGO


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-6924.2016v13n2p19

(Est-s Jorn. Mid.), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSNe 1984-6924.

Licença Creative Commons