Os silêncios de ZH: o jornalismo público (des)coberto

Patricia Milano Persigo

Resumo


 

A busca pela diversificação de produtos, formatos e pautas desafia o jornalismo e provoca, algumas vezes, silêncios em seu dia a dia. Ainda assim, entendemos persistir seu papel social, sua responsabilidade enquanto articulador, mediador dos discursos sociais e mobilizador da opinião pública. Neste artigo abordamos a prática do jornalismo público priorizando a cidadania como valor notícia, a participação da audiência, o debate público e, assim, a constituição do veículo em uma efetiva esfera pública. Analisamos um objeto empírico a partir de observação sistemática não participante, entrevistas, análise documental e análise das reportagens publicadas. Dessa forma, observamos que o bairrismo, o papel de watchdog e a rotina da editoria de relacionamento com o leitor representam silêncios no papel social desse periódico. 


Palavras-chave


jornalismo público; relacionamento com os leitores; Jornal Zero Hora

Texto completo:

ARTIGO


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-6924.2016v13n2p56

(Est-s Jorn. Mid.), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSNe 1984-6924.

Licença Creative Commons