“O problema não é o que vira notícia, mas o que deixa de ser”: a falta de lugar da pobreza e a atenção às celebridades no jornalismo na campanha crítica da ONG Teto

Jonas Pilz, Fernanda de Faria Medeiros

Resumo


Neste artigo, propõe-se uma perspectiva dos estudos de jornalismo, critérios de noticiabilidade, celebridades e acontecimento para a problematização da campanha da ONG Teto, em 2015, sobre a invisibilidade da pobreza diante da atenção midiática ao cotidiano de artistas brasileiros. Aponta-se aqui para como as construções desse campo da comunicação viabilizam a constante elucidação de um e apagamento do outro. Como tal campanha de crítica midiática foi espalhada através de conversações em rede, neste artigo também contempla-se a esfera de produção de sentidos da controvérsia no Facebook, em que aponta-se para a cristalização de discursos que vinculam essa práxis não só os meios de comunicação, mas à esfera política e à sociedade civil.


Palavras-chave


ONG Teto; Jornalismo; Acontecimento

Texto completo:

PDF/A

Referências


ALSINA, Miguel. A construção da notícia. Rio de Janeiro: Vozes, 2009.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BENETTI, Marcia. O jornalismo como acontecimento. In: BENETTI, Marcia.; FONSECA, Virginia. Jornalismo e Acontecimento : Mapeamentos críticos. Florianópolis: Insular, 2010.

_______. A apropriação discursiva da morte pelo leitor. In: MAROCCO, Beatriz; BERGER, Christa; HENN, Ronaldo. Jornalismo e Acontecimento : Diante da morte. Florianópolis: Insular, 2012.

BERGER, Peter; LUCKMANN, Thomas. A construção social da realidade. Petrópolis: Vozes, 2008.

BETH, Hanno; PROSS, Harry. Introducción a la ciencia de la comunicación. Barcelona: Anthropos, 1987.

CHARAUDEAU, Patrick. Discurso das Mídias. São Paulo: Contexto, 2006.

DOSSE, François. Renaissance de l'événement. Paris: PUF, 2010.

FRAGOSO, Suely; RECUERO, Raquel; AMARAL, Adriana. Métodos de pesquisa para internet. Porto Alegre: Sulina, 2011.

GABLER, Neal. Vida, o filme : como o entretenimento conquistou a realidade. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

GALDINO, Tarcineide. A denúncia de tabloidização nas imagens da campanha COLETA 2015. Estudo em Jornalismo e Mídia. v. 13, n. 1 jan/jun, p. 42-55 , 2016.

GALTUNG, Johan; RUGE, Mari Holmboe. The Structure of Foreign News. In: Journal of Peace Research, v. 2, n. 1 (1965). Disponível em:

_2423/materiale/aa_2015-2016_galtung-ruge-newsvalues.pdf. Acessado em 15 de março de 2016.>

HENN, Ronaldo; PILZ, Jonas; KOLINSKI MACHADO, Felipe. Celebração do casamento igualitário e homofobia nas redes digitais: #LoveWins na disputa de sentidos oriundos da apropriação da Havaianas. In: E-compós, Brasília, v.21, n.1, jan./abr. 2018,

JENKINS, Henry; FORD, Sam; GREEN, Joshua. Spreadable Media : Creating Value and Meaning in a Networked Culture. Nova York: New York University Press, 2013.

LIPPMANN, Walter. Opinião Pública. Petrópolis: Vozes, 2010.

MERTON, Robert; LAZARSFELD, Paul. Comunicação de massa, gosto popular e estrutura social

organizada. In: COHN, Gabriel. Comunicação e indústria cultural. São Paulo: Pioneira, 1971.

MOUILLAUD, Maurice.; PORTO, Sergio. O jornal : da forma ao sentido. Brasília: Editora

Paralelo 15, 1997.

NORA, Pierre. O regresso do acontecimento. In LeGOFF, Jacques. Fazer História. São Paulo: Bertrand, 1974.

PEIRCE, Charles The Collected Papers of Charles Sanders Peirce. Past Masters, CD-ROM. EUA, InteLex Corporation, 2002.

PILZ, Jonas. Apropriações publicitárias de ciberacontecimentos: sentidos oriundos de conversações em rede operadas por atores sociais com interesses emrcadológicos como estratégia de relacionamento. Disserrtação (Mestrado) - Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Programa de Pós-Graduação em Comunicação, 2017. 144p.

PONTES, Felipe.; SILVA, Gislene. Acontecimento jornalístico e história. In: BENETTI, Marcia; FONSECA, Virginia. Jornalismo e Acontecimento : Mapeamentos críticos. Florianópolis: Insular, 2010.

QUÉRÉ, Louis. A dupla vida do acontecimento: por um realismo pragmatista. In: FRANÇA, Vera; OLIVEIRA, Luciana. Acontecimento: reverberações. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2012.

RANCIÈRE, Jacques. Políticas da escrita. Rio de Janeiro: Editora 34, 1995.

REBELO, José. Prolegómenos à narrativa mediática do acontecimento. In: Trajectos - Revista de Comunicação, Cultura e Educação, 8-9: p.55-58, 2006

RECUERO, Raquel. A conversação em rede : Comunicação Mediada Pelo Computador e Redes Sociais na Internet. Porto Alegre: Sulina, 2014.

TRAQUINA, Nelson. Teorias do Jornalismo Volume II - A tribo jornalística: uma comunidade interpretativa e transacional. Florianópolis: Insular, 2013.

TURNER, Graeme. Tabloidization, journalism and critique. International Journal of Cultural Studies. London, Thousand Oaks, CA, and New Delhi: Sage Publications, 1999. Volume 2. p. 59-76.

VERÓN, Eliseo. Construir el acontecimiento : los medios de comunicación masiva y el accidente en la central nuclear de Three Mile Island. Barcelona: Gedisa, 1995.

WOLF, Mauro. Teorias da Comunicação. Lisboa: Editorial Presença, 1995.




DOI: https://doi.org/10.5007/1984-6924.2019v16n1p121

(Est-s Jorn. Mid.), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSNe 1984-6924.

Licença Creative Commons