O novo ecossistema mediático e a desinformação como estratégia política dos populismos

João Carlos Correia

Resumo


Este texto aborda os fenômenos da desinformação genericamente referidos como fake news, associando-os a agendas marcadas por formas de populismo nacionalista (eventualmente neofascistas) que recorrem às redes sociais para produzirem e selecionarem narrativas preferenciais sob os temas em debate. Considera se que tais fenômenos se inserem num contexto resultante da disponibilidade dos próprios destinatários para descartarem a confirmação da informação em detrimento da gratificação por ela fornecida, implicando a participação dos receptores na sua divulgação e partilha e aumento da desigualdade no acesso à informação. Metodologicamente, este texto insere-se na modalidade de ensaio, utilizando a hermenêutica crítica dos textos, discutindo dados empíricos previamente fornecidos por dados documentais.


Palavras-chave


Fake News; Desinformação; Eleições; Consonância; Desigualdade no acesso à informação

Texto completo:

PDF/A

Referências


BIRD, Elizabeth e DARDENNE, Robert W. Mito, registo e“estórias”:explorando as qualidades narrativas das notícias. IN: Traquina, N. (Org.), Jornalismo: questões, teorias e“estórias”. Lisboa: Vega, 1993. p. 263-277.

CANOVAN , M. Taking politics to the people: Populism as the ideology of democracy. IN Mény,Y &. Surel, Y (Eds.), Democracies and the populist challenge. Basingstoke: Palgrave, 2002. p. 22-44.

ENGESSER, S., ERNST, N., ESSER, F. & BÜCHEL, F. Populism and social media: how politicians spread a fragmented ideology. IN: Information, Communication & Society, Vol. 20 nº 8 , p. 1109-1126, 2017. DOI: 10.1080/1369118X.2016.1207697

FERREIRA, Gil Baptista. O “meu jornal” e o interesse público: Implicações cívicas do agendamento na era dos novos média IN Revista Comunicando, Lisboa, Vol. 6 – N.º 1 | Média e Cidadania: Um tributo a Paquete de Oliveira. p. 83- 102., 2018.

FERREIRA, Ricardo Ribeiro. Rede de mentiras: a propagação de fake news na pré-campanha presidencial brasileira. Observatorio (OBS*). Lisboa, Número Especial, p. 139-162 2018. https://doi.org/10.15847/obsOBS12520181272

GOMES, Wilson. Jornalismo, fatos e interesses. Ensaios de teorias do

jornalismo. Florianópolis: Editora Insular, 2009. 112 páginas

LEITÃO, Sónia. Entroncamento: a terra dos fenómenos! mediotejo.net. Abrantes, 27 de novembro, 2018. Disponível em http://www.mediotejo.net/entroncamento-os-fenomenos-andam-ai/. Acesso: 21 abril 2019

LYOTARD, Jean-François. A condição pós-moderna. Lisboa: Gradiva, 1989. 128 páginas.

LUSA. "Fake news são aspecto não completado do estilhaçamento do real". Sábado, Lisboa, 11 de novembro de 2018. Disponível em em https://www.sabado.pt/vida/detalhe/jose-gil-fake-news-sao-aspecto-nao-completado-do-estilhacamento-do-real. Acesso em 22 de abril de 2109.

MENDES, João Maria Ribeiro. Porquê tantas histórias: O lugar do ficcional

na aventura humana. Coimbra: Minerva, 2001. 574 páginas.

MÜELLER, Filipe de Matos & SOUSA, Márcio. Vieira . fake news: um problema midiático multifacetado. In VIII Congreso Internacional de Conocimiento e Innovación (Habitats de Innovación y Economia del Conocimiento: una apuseta para el futuro, 2018. Disponivel em http://proceeding.ciki.ufsc.br/index.php/ciki/article/view/511/261. Acesso: 27 março de 2019

OLIVEIRA DA SILVA , Marconi. Imagem e verdade: jornalismo, linguagem

e realidade. São Paulo: Annablume, 2006. 201 páginas.

PENA, Paulo, A Campanha de fake news que está a abalar a Europa. Diário de Notícias, Lisboa,13 abril 2019.Disponível em: .https://www.dn.pt/edicao-do-dia/13-abr-2019/interior/a-campanha-de-fake-news-que-esta-a-abalar-a-europa-10785453.html. Acesso em 21 abril 2019.

SILVA, João Céu e. O passado está a ser engavetado, digitalizado e virtualizado. Diário de Notícias, Lisboa,4 Janeiro 2019. Disponível em : https://www.dn.pt/1864/interior/jose-gil-o-passado-esta-a-ser-engavetado-digitalizado-e-virtualizado-10396951.html. Acesso em 21 abril 2019.

SPLENDORE , Sergio. Communicative activism and political impasse: the changing media system in the context of fake newsand populism. In: Contemporary Italian Politics, Vol.. 10, nº 4, p. 407-420, 2018. https://doi.org/10.1080/23248823.2018.1544356

TICHENOR, Philipp; DONOHUE, Georg. e OLIEN Clarisse (2009). O fluxo dos meios de comunicação de massa e o crescimento diferencial do conhecimento. IN Esteves, J. P. (Org.), Comunicação e sociedade. Lisboa: Horizonte, 2009.p.81-92.

ZELIZER, Barbie e ALLAN, Stuart. Journalism after September 11. London, New York: Routledge, 2003. 368 páginas.




DOI: https://doi.org/10.5007/1984-6924.2019v16n2p23

(Est-s Jorn. Mid.), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSNe 1984-6924.

Licença Creative Commons