A ecologia midiática do audiovisual em ambientes multiplataforma

Autores

  • Paulo Eduardo Silva Lins Cajazeira Universidade Federal do Cariri - UFCA
  • José Jullian Gomes Souza UNIVERSIDADE FEDERAL DO CARIRI - PPGB

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-6924.2021.e76717

Palavras-chave:

Novos lugares de memória, Multiplataforma, Ecologia das mídias audiovisuais

Resumo

O estudo consiste em analisar como os aplicativos digitais têm reconfigurado o sistema de arquivamento da memória audiovisual, cujo acesso é instantâneo, móvel e em multiplataforma. Nesse cenário da ecologia midiática, o aplicativo Globoplay se apresenta como esse atual lugar da memória televisiva, fortalecendo o vínculo entre espectadores/usuários em tempos de convergência tecnológica e mobilidade. A metodologia é de natureza qualitativa e perpassa um estudo exploratório sobre o Globoplay, identificando os novos processos de construção da memória televisiva e a interação em ambientes multiplataformas com o espectador/usuário. Entende-se que nessa ecologia midiática audiovisual existe uma construção dos lugares de memória nos ambientes digitais, expandindo a presença da TV em ambientes multiplataformas de forma fragmentada.

Biografia do Autor

Paulo Eduardo Silva Lins Cajazeira, Universidade Federal do Cariri - UFCA

POS-DOUTOR EM CIENCIAS DA COMUNICAÇÃO (UBI/PORTUGAL), DOUTOR EM COMUNICAÇÃO (PUC-SP), MESTRE EM COMUNICAÇÃO (UTP-PR), BACHAREL EM COMUNICAÇÃO SOCIAL - JORNALISMO, PUC-PR. PROFESSOR EFETIVO DO CURSO DE JORNALISMO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CARIRI.

José Jullian Gomes Souza, UNIVERSIDADE FEDERAL DO CARIRI - PPGB

MESTRE EM BIBLIOTECONOMIA - UFCA - PPGB

ESPECIALISTA EM LETRAS - FACULDADE DE JUAZEIRO DO NORTE - CE

BACHAREL EM JORNALISMO - UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ - UFC

Referências

CANAVILHAS, João. O novo ecossistema mediático. Biblioteca on-line de Ciências da Comunicação, 2010. Disponível em: http://www.bocc.ubi.pt/pag/canavilhas-joao-o-novo-ecossistema-mediatico.pdf. Acesso em: 6 fev. 2020.

CANCLINI, Néstor García. Leitores, espectadores e internautas. Tradução de Ana Goldberger. São Paulo: Iluminuras, 2008.

DALL’AGNESE, Carolina Teixeira Weber; BARICHELLO, Eugenia Mariano Rocha. Media Ecology: abordagem contextual para o estudo das narrativas jornalísticas transmídia. In: CONGRESSO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO NA REGIÃO SUL, 18, 2017, Caxias do Sul, RS. Anais eletrônicos… Caxias do Sul: UCS. Disponível em: http://portalintercom.org.br/anais/sul2017/resumos/R55-1307-1.pdf. Acesso em: 5 fev. 2020.

FLORES, Ana Marta Moreira; LONGHI, Raquel Ritter; WEBER, Carolina Teixeira. Os webjornais querem ser rede social? In: LIMA JÚNIOR, Walter Teixeira; SOSTER, Demétrio de Azevedo (Orgs.). Jornalismo digital: audiovisual, convergência e colaboração. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2011, p. 18-42. Disponível em: http://www.carlosdand.com/2011/10/livro-jornalismo-digital-audiovisual.html. Acesso em: 12.02.2020

GERHARDT, Tatiana Engel; SILVEIRA, TOLFO, Denise (Orgs.). Métodos de pesquisa. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 2009.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

HUYSSEN, Andreas. Seduzidos pela memória: arquitetura, monumentos, mídia. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2000.

JENKINS, Henry. Cultura da convergência. Tradução de Susana Alexandria. 2. ed. São Paulo: Aleph, 2009.

LEVINSON, Paul. The Soft Edge: A Natural History and Future of the Information Revolution. New York: Routledge, 1998.

LOGAN, Robert. La base biológica de la ecología de los medios. In: SCOLARI, Carlos. Ecología de los medios: entornos, evoluciones e interpretaciones. Barcelona: Gedisa, 2015, p. 137-152.

MALDONADO, Tomás. Memoria y conocimiento: sobre los destinos del saber en la perspectiva digital. Barcelona: Gedisa, 2007.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados de História da PUC-SP, São Paulo, v. 10, p. 7-28, dez. 1993.

PALACIOS, Marcos. Jornalismo, memória e história na era digital. In: CANAVILHAS, João (Org.). Webjornalismo: 7 características que marcam a diferença. Covilhã, PT: Livros LabCom, 2014, p. 89-110.

POSTMAN, Neil. Tecnopólio: a rendição da cultura à tecnologia. São Paulo: Nobel, 1994.

RENÓ, Denis Porto. Transmedia Journalism and the New Media Ecology: Possible Languages. In: RENÓ et al. Periodismo transmidia: miradas múltiples. Barcelona: Editorial UOC, 2014, p. 3-20.

SCOLARI, Carlos. Ecología de los medios: entornos, evoluciones e interpretaciones. Barcelona: Gedisa, 2015.

RICHARDSON, Roberto Jarry. Pesquisa social: métodos e técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2011.

SOUZA, José Jullian Gomes; CAJAZEIRA, Paulo Eduardo. A memória virtualizada do arquivo audiovisual jornalístico. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 20, 2019, Florianópolis, SC. Anais eletrônicos… Florianópolis: UFSC, 2019. Disponível em: https://conferencias.ufsc.br/index.php/ enancib/2019/paper/view/474. Acesso em: 28 jan. 2020.

STRATE, L. A Media Ecology Review. Communication Research Trends. v. 23, n. 2, 2004.

VILELA, Mateus Dias; NUNES, Ana Cecília. Entrevista com Eric McLuhan. Sessões do Imaginário. PUC-RS. Ano XVI, n. 26, 2011. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/teo/ojs/index.php/famecos/article/view/10941. Acesso em: 6 fev. 2020.

Downloads

Publicado

2022-01-03