Publicar ou Perecer: a Esfinge do produtivismo acadêmico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1982-02592017v20n2p207

Palavras-chave:

Intensificação do trabalho docente, Produtivismo, Gerencialismo, Adoecimento

Resumo

Este artigo trata da reestruturação das condições e processos de trabalho dos professores no ensino superior hodiernamente, que introduz a lógica gerencial nas atividades docentes. Mostra como esta nova lógica adoece o professor física e mentalmente. Para tanto, analisa as últimas transformações no mundo do trabalho e como estas influenciaram diretamente a Reforma Universitária empreendida pelos governos do Partido dos Trabalhadores. Investiga também o atendimento existente nas universidades públicas brasileiras (2016), bem como entrevista docentes de vários cursos e universidades (2015-2016) a respeito das transformações ocorridas no seu labor. O resultado demonstra que a intensificação e precarização estão presentes em todo o trabalho acadêmico atualmente e que os professores têm consciência de que seu trabalho, hoje, passou a ser a fonte de agravos à saúde física e mental. Entretanto, recusam-se a procurar auxílio, para não serem estigmatizados por não suportarem as novas formas do trabalho docente nas universidades.

Biografia do Autor

Janete Luzia Leite, Escola de Serviço Social UFRJ - Rio de Janeiro - RJ Professora Associada

Doutorado em Serviço Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2000. Atualmente é Pesquisador da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro/UNIRIO, Professor Associado da Universidade Federal do Rio de Janeiro/UFRJ e Professor colaborador da Pós-Graduação da Universidade Federal Fluminense/UFF.

Downloads

Publicado

2017-06-29