Ética e formação profissional em Serviço Social: do conservadorismo à emancipação

Priscila Fernanda Gonçalves Cardoso

Resumo


A partir da leitura crítica dos currículos de Serviço Social, desde 1936 até as diretrizes curriculares de 1996, este artigo objetiva analisar a direção social e a perspectiva ética presentes na trajetória de oito décadas de formação em Serviço Social. Através de pesquisa documental, retoma os dez currículos da primeira escola de Serviço Social, passando pelos quatro currículos mínimos aprovados nacionalmente, até as atuais diretrizes curriculares. Reconstitui o caminho percorrido por uma formação embasada numa perspectiva conservadora à importante inflexão de construção de uma perspectiva emancipatória. Aponta considerações acerca dos desafios postos ao atual projeto político pedagógico, em especial no que se refere à necessária efetivação da transversalidade da ética na formação das assistentes sociais.


Palavras-chave


Formação Profissional; Ética Profissional; Serviço Social

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.1590/1982-02592017v20n3p325

R. Katál. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil eISSN: 1982-0259  

Licença Creative Commons Adota a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.