Serviço social e formação permanente: possibilidades de superação de cotidianos de alienação

Priscila Fernanda Gonçalves Cardoso, Terezinha de Fátima Rodrigues, Heloise Helena Pereira Nunes

Resumo


O presente artigo apresenta a importância da formação permanente para o serviço social como possibilidade de contribuição para o trabalho profissional numa perspectiva crítica e de afirmação de nosso projeto ético político. Para tanto, realiza uma discussão acerca da educação na sociedade de classes e o sentido da formação permanente em uma direção contra hegemônica aos interesses do capital, apresentando uma reflexão sobre seu papel numa perspectiva emancipatória. Retoma os princípios da Política de Educação Permanente do Conjunto CFESS/CRESS (2012), apontando os desafios e possibilidades presentes na efetivação desta política e na construção de espaços democráticos de formação após a graduação, ressaltando sua importância, aqui compreendida sob dois aspectos: a necessária suspensão da cotidianidade para o retorno a esta de maneira a contribuir criticamente com ações alinhadas ao projeto ético político profissional e, sua potência enquanto estratégia na manutenção da hegemonia de nosso projeto profissional e de formação.


Palavras-chave


Educação; Formação Permanente; Serviço Social; Projeto Ético político

Texto completo:

PDF/A

Referências


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENSINO E PESQUISA EM SERVIÇO SOCIAL (ABEPSS). Lei de Diretrizes Curriculares.Diretrizes gerais para o curso de Serviço Social. Com base no Currículo Mínimo aprovado em Assembleia Geral Extraordinária de 8 de novembro de 1996. Rio de Janeiro: 1996. Disponível em http://www.abepss.org.br/arquivos/textos/documento_201603311138166377210.pdf Acesso em: 29 jun. 2019.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESCOLAS DE SERVIÇO SOCIAL (ABESS); CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E PESQUISA EM POLÍTICAS SOCIAIS E SERVIÇO SOCIAL (CEDEPSS). Proposta básica para o projeto de formação profissional: documento Abess/Cedepss (nov. 1995). Serviço Social & Sociedade, n. 50. São Paulo: Cortez, 1996.

BOSCHETTI, Ivanete. Expressões do conservadorismo na formação profissional. Serviço Social e Sociedade. São Paulo, n. 124, p. 637- 651, out./dez. 2015.

CARDOSO, P. F. G. 80 anos de formação em Serviço Social: uma trajetória de ruptura com o conservadorismo. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 127, p. 430-455, set./dez. 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-66282016000300430&lng=pt&nrm=is&tlng=pt. Acesso em: 29 jun. 2019.

CARDOSO, P. F. G. Ética e Projetos Profissionais: os diferentes caminhos do Serviço Social no Brasil. Campinas: Papel Social, 2013.

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL (CFESS). Política de Educação Permanente do Conjunto Cfess-Cress. Brasília, 2012. Disponível em: http://cress-sc.org.br/img/paginas/pep.pdf. Acesso em: 29 jun. 2019.

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL (CFESS). Código de Ética do/a Assistente Social. Lei n. 8862/93. 10. ed. Brasília. Disponível em: http://www.cfess.org.br/arquivos/CEP_CFESS-SITE.pdf. Acesso em: 29 jun. 2019.

FREIRE, Paulo. Tema 2: Prática didático-pedagógica no processo de formação profissional. In: Maria Lúcia Rodrigues (org.). Ensino de Serviço Social: polêmicas. São Paulo: Educ, 1992.

FRIGOTTO, G. Educação e a crise do capitalismo real. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

IAMAMOTO, Marilda Vilela. A formação acadêmico-profissional no Serviço Social brasileiro. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 120, p. 609-639, out./dez. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-66282014000400002&lng=pt&nrm=is&tlng=pt. Acesso em: 29 jun. 2019.

IAMAMOTO, Marilda Vilela. Renovação e conservadorismo no Serviço Social: ensaios críticos. São Paulo: Cortez, 2013.

HELLER, Agnes. O cotidiano e a história. 6. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

LUKÁCS, Georg. I. La Peculiaridad de lo Estético. Tradução: Manuel Sacristán. Barcelona, Espanha: Grijalbo, 1966.

MARX, K. O Capital: crítica da economia política. Tradução: Regis Barbosa; Flávio R. Kothe. São Paulo: Abril Cultural, 1985. Livro 1, v. 1, t. 1. (Os economistas).

MÉSZAROS, I. A educação para além do capital. 2. ed. São Paulo: Boitempo, 2008.

NASCIMENTO, Chrislayne Caroline dos Santos; OLIVEIRA, Carla Montefusco de. Educação Permanente e Serviço Social: Apontamentos sobre a Formação Profissional. Temporalis, Brasília, ano 16, n. 31, p. 133-165, jan./jun. 2016. Disponível em: http://periodicos.ufes.br/temporalis/article/view/12321. Acesso em: 29 jun. 2019.

REVISTA SERVIÇO SOCIAL E SOCIEDADE, ano V, n. 14. São Paulo: Cortez, 1988.




DOI: https://doi.org/10.1590/1982-02592020v23n1p72

R. Katál. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil eISSN: 1982-0259  

Licença Creative Commons Adota a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.