Sentidos e percepções de crianças migrantes em Florianópolis

Soraya Franzoni Conde, Karina Strohhaecker Lisa Alcubierre

Resumo


Analisa os sentidos e as percepções de crianças migrantes a respeito de seus próprios processos de migração. A pesquisa foi realizada em uma unidade de educação infantil da Rede Municipal de Ensino de Florianópolis e contou com a participação de treze crianças migrantes e de uma criança nativa da cidade com idades entre quatro e seis anos. Utiliza como instrumento de coleta de dados o questionário e entrevista realizada com as famílias. Com base no materialismo histórico dialético, foram utilizadas as categorias totalidade e particularidade do fenômeno social migratório. Buscou-se na perspectiva histórico-cultural as bases para compreender as percepções das crianças. As falas infantis revelam o modo como apreendem a totalidade das relações sociais vigentes, deixando claro a classe social que pertencem. Além disso, essas falas também denunciam a forma como as contradições sociais determinam a objetividade da vida social e as subjetividades desde tenra idade.


Palavras-chave


Migrações na Infância; Crianças Migrantes; Famílias Trabalhadoras

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.1590/1982-02592018v21n2p358

R. Katál. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil eISSN: 1982-0259  

Licença Creative Commons Adota a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.