As medidas de enfrentamento à exploração do trabalho infantil no Brasil: forças em luta

Autores

  • Soraya Franzoni Conde UFSC - Florianópolis - SC

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1414-49802013000200010

Palavras-chave:

Trabalho infantil, Políticas públicas, Transferência de renda, Escola

Resumo

O objetivo deste artigo é refletir sobre as soluções encontradas para o problema da exploração do trabalho infantil no Brasil. Para isso, apresenta as atuais políticas públicas destinadas à eliminação do trabalho infantil no país – legislação, políticas de transferência de renda e de escolarização – e revela, por meio de dados do IBGE, a persistência da exploração do trabalho infantil. Procura, assim, mostrar que, embora as políticas públicas para a erradicação do trabalho infantil sejam importantes, o problema persiste, pois as medidas para enfrentá-lo não atingem as suas origens.

Biografia do Autor

Soraya Franzoni Conde, UFSC - Florianópolis - SC

Atualmente é professora do Núcleo de Desenvolvimento Infantil/Centro de Ciências da Educação da UFSC e coordenadora geral do Curso de Especialização em Docência na Educação Infantil da UFSC/MEC/SEB. Pesquisadora do Núcleo de Estudos sobre as Transformações no Mundo do Trabalho (TMT/CED-CFH/UFSC), doutora em Educação e mestre em Sociologia Política pela UFSC com pesquisa sobre o trabalho infantil no campo. Graduada em Pedagogia com experiência na educação infantil, na educação do campo e na pesquisa com movimentos sociais do campo. Sua pesquisa de doutorado versa sobre a relação entre a escolarização e o trabalho infantil no campo em municípios fumicultores catarinenses. Realizou doutorado sanduíche em Portugal, pesquisando o trabalho infantil, as políticas públicas de erradicação e as metodologias de pesquisas empregadas no país. Atua principalmente nos seguintes temas: trabalho infantil, trabalho e educação, educação infantil, educação do campo, educação infantil do campo.

Downloads

Publicado

2013-11-20