Sociabilidade dos adolescentes em conflito com a lei de Uberlândia (MG) em 2017

Manuela Soares Silveira, Fabiane Santana Previtali

Resumo


O presente estudo apresenta resultados parciais de pesquisa de mestrado, que tem por objetivo analisar a sociabilidade dos adolescentes em conflito com a lei no município de Uberlândia (MG) no ano de 2017, mais especificamente os adolescentes do sexo masculino que cumprem medida socioeducativa de internação no Centro Socioeducativo de Uberlândia (CSEUB). Buscou-se então compreender quais os sentidos atribuídos pelos sujeitos às suas experiências sociais. Optou-se pelo materialismo histórico e dialético como base teórico-metodológica. Nesse sentido, parte-se de um recorte na sociabilidade dos sujeitos, no que diz respeito ao trabalho. Empreenderam-se a pesquisa bibliográfica para um amplo levantamento dos autores e de suas respectivas produções científicas, e a pesquisa de campo com um estudo de caso no CSEUB. A análise buscou inserir os participantes da pesquisa em um contexto macrossocietário, no que diz respeito à reestruturação produtiva e às novas configurações do mundo do trabalho, possibilitando compreender que os adolescentes aqui pesquisados e seu grupo social têm suas sociabilidades configuradas pelo sociometabolismo do capital, de modo a contribuir na reprodução e manutenção dessa estrutura.


Palavras-chave


Adolescente em conflito com a lei; Medida socioeducativa; Sociabilidade; Trabalho

Texto completo:

PDF/A

Referências


ALVES, G. Trabalho e neodesenvolvimentismo: choque de capitalismo e nova degradação do trabalho no Brasil. Bauru: Canal 6, 2014.

ANTUNES, R. Os sentidos do trabalho: ensaio sob a afirmação e a negação do trabalho. 6. ed. São Paulo: Boitempo, 2002.

BRASIL. Estatuto da criança e do adolescente: Lei n. 8.069, de 13 de julho de 1990, e legislação correlata. 13. ed. Brasília, DF: Edições Câmara, 2015. Disponível em: http://bd.camara.gov.br/bd/bitstream/handle/bdcamara/18403/estatuto_crianca_adolescente_13ed.pdf?sequence=27. Acesso em: 13 fev. 2017.

DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS. A situação do trabalho no Brasil na primeira década dos anos 2000. São Paulo: DIEESE, 2012. Disponível em: http://www.dieese.org.br/livro/2012/livroSituacaoTrabalhoBrasil.pdf. Acesso em: 7 out. 2016.

ENGELS, F. A situação da classe trabalhadora na Inglaterra. São Paulo: Boitempo, 2008.

IAMAMOTO, M. V. O Serviço Social na contemporaneidade: trabalho e formação profissional. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2000.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios. 2005. [Rio de Janeiro]: IBGE, [2005?]. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/trabalhoerendimento/pnad2005/default.shtm. Acesso em: 29 jun. 2017.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios. 2015. [Rio de Janeiro]: IBGE, [2015?]. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/trabalhoerendimento/pnad2015/default.shtm. Acesso em: 29 jun. 2017.

MARINI, R. M. Dialética da dependência, 1973. In: TRASPADINI, R.; STEDILE, J. P. (org.) Rui Mariano Marini: vida e obra. São Paulo: Expressão Popular, 2005. p. 137-180.

MARX, K. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: Boitempo, 2004a.

MARX, K. O capital: crítica da economia política: o processo de produção do capital. São Paulo: Nova Cultural, 1996. v. 1, t. 1. (Os Economistas).

MARX, K. Trabalho estranhado e propriedade privada. In: ANTUNES, R. (org.). A dialética do trabalho. São Paulo: Expressão Popular, 2004b. p. 141-160.

MARX, K.; ENGELS, F. Sistema de ensino e divisão do trabalho. In: MARX, K.; ENGELS, F. Textos sobre educação e ensino. Campinas, SP: Navegando, 2011. p. 25-40. Disponível em: https://www.marxists.org/portugues/marx/ano/mes/ensino.pdf. Acesso em: 28 set. 2017.

MÉSZÁROS, I. Para além do capital: rumo a uma teoria da transição. São Paulo: Boitempo, 2011. Disponível em: https://nupese.fe.ufg.br/up/208/o/para-alem-do-capital.pdf?1350933922. Acesso em: 9 ago. 2016.

MINAYO, M. C. de S. (org.); DESLANDES, S. F.; GOMES, R. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 28. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

PAULO NETTO, J. Capitalismo monopolista e serviço social. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

PAULO NETTO, J. Introdução ao estudo do método de Marx. São Paulo: Expressão Popular, 2011.

SAVIANI, D. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 12, n. 34, p. 152-165, jan./abr. 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v12n34/a12v1234.pdf. Acesso em: 10 out. 2016.

SILVEIRA, D.; BOECKEL, C. Chacina da Candelária: sobrevivente ainda tem pesadelos, diz irmã. G1. Rio de Janeiro, 23 jul. 2015. Disponível em: http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2015/07/chacina-da-candelaria-sobrevivente-ainda-tem-pesadelos-diz-irma.html. Acesso em: 27 jun. de 2017.

SILVEIRA, M. S. Sociabilidades e relações sociais dos adolescentes em conflito com a lei em Uberlândia/MG em 2017: sentidos e significados atribuídos pelos sujeitos. 2018. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2018.




DOI: https://doi.org/10.1590/1982-02592019v22n2p309

R. Katál. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil eISSN: 1982-0259  

Licença Creative Commons Adota a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.