Em tempos de desumanização: a emergência da crítica ontológica no complexo educacional

Patricia Laura Torriglia, Vidalcir Ortigara, Astrid Baecker Avila

Resumo


Na atualidade a adaptação ao existente é uma realidade que se impõe, implicando, também, numa necessária compreensão do tempo presente e de uma crítica ontológica que nos permita não só compreender o papel da educação e do conhecimento, senão também costurar estratégias de formação e articulação em que a teoria recupere seu papel fundamental de orientação da prática. Contrariando o “espírito do tempo”, entendemos que as implicações entre ontologia e conhecimento para o debate da educação apresentam, explícita ou implicitamente, a questão de porquê ontologia e porque uma crítica ontológica. Apresentamos nesse texto o movimento dialético da dimensão ontológica e gnosiológica a partir de uma concepção de ser humano que possa gerar as possibilidades de interditar a ideia de que o sistema capitalista “totalizante” não pode ser superado. Ao contrário, é necessário um tipo de conhecimento que considere a totalidade, como nos oferece a ontologia crítica.


Palavras-chave


Crítica ontológica; Complexo Educacional; Conhecimento

Texto completo:

PDF/A

Referências


ABBAGNANO, N. Dicionário de Filosofia. 3. ed. São Paulo: Martins. Fontes, 1998.

DUAYER, M. Manipulação ou Emancipação? pragmatismo e ciência econômica. 1995. Tese (Professor Titular) – Universidade Federal Fluminense, Niterói,1995.

DUAYER, M. Relativismo, certeza e conformismo: para uma crítica das filosofias da perenidade do capital. Revista da Sociedade Brasileira de economia Política, São Paulo, v. 27, p. 58-83, out. 2010.

LESSA, S. A ontologia de Lukács. Maceió: UFAL, 1996.

LUKÁCS, G. Para uma ontologia do ser social I. São Paulo: Boitempo, 2012.

LUKÁCS, G. Para a Ontologia do ser social II. São Paulo: Boitempo, 2013.

LUKÁCS, G. Per l’ontologia dell’essere sociale. Roma: Riuniti, 1976.

LUKÁCS, G. Prolegomeni All’Ontologia dell’Essere Sociale: questioni di principio di un’ontologia oggi divenuta possibilie. Milano: Guerini Associati, 1990.

MORAES, M. C. M. Comte e o Positivismo. In: HÜHNE, L. M. (org.). Profetas da Modernidade. Rio de Janeiro: UAPÊ/SEAF, 1995. p. 109-147.

MORAES, M. C. M. Os “pós-ismos” e outras querelas ideológicas. Perspectiva, Florianópolis, v. 14, n. 25, p. 45-59, jan. 1996. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/view/10856/10334. Acesso em: 06 ago. 2019.

MORAES, M. C. M. Recuo da teoria: dilemas na pesquisa em educação. Revista Portuguesa de Educação, Braga, v. 14, n. 1, p. 7-25, 2001. Disponível em: http://www.redalyc.org/pdf/374/37414102.pdf. Acesso em: 06 ago. 2019.

MORAES, M. C. M. Indagações sobre o conhecimento no campo da educação. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 30., 7-11 out. 2007, Caxambu, MG. Anais [...]. Caxambu, MG: ANPED, 2007. p. 315-346. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/download/2175-795X.2009v27n2p315/15284. Acesso em: 10 ago. 2019.

RUI, A. M.; MORATÓ, J. C. Diccionario de filosofía. Barcelona: Herder, 1996. CD-Rom.

SCARPONI, A. Prefazione. In: Lukács, G. Per l’ntologia dell’essere sociale. Roma: Riuniti, 1976.

TERTULIAN, N. Georg Lukács e a reconstrução da ontologia na filosofia contemporânea. In: CONFERÊNCIA PROFERIDA NO

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO DA UFCE, 1996, Recife. No prelo.

WOOD, E. M. O que é a agenda “pós-moderna”? In: WOOD, E. M.; FOSTER, J. B. Em Defesa da História: marxismo e pósmodernismo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1999. p. 7-22.




DOI: https://doi.org/10.1590/1982-02592020v23n1p15

R. Katál. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil eISSN: 1982-0259  

Licença Creative Commons Adota a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.