Ser docente no Século XXI: o trabalho em uma universidade pública brasileira

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1982-02592020v23n3p687

Palavras-chave:

Condições de trabalho, Trabalho docente, Educação - docente, Saúde - docente

Resumo

O artigo apresenta as condições do trabalho docente em uma universidade pública brasileira em contexto de mudanças no setor da educação. O objetivo é analisar as percepções de docentes sobre o trabalho em relação à organização do trabalho e às implicações no binômio saúde/doença. Trata-se de um estudo com abordagem qualitativa pautado em entrevistas semiestruturadas sobre questões que abordam o processo de trabalho dos docentes, a partir de suas experiências, desejos e sensações. Foram entrevistados sete docentes, e a análise da fala teve como base o método do discurso do sujeito coletivo. Os resultados apresentam as condições de trabalho dos docentes sob processo de intensificação, prolongamento de jornadas e adoecimento desses trabalhadores. No cenário apresentado o trabalho vem atrelado a difusas engrenagens evidenciadas nos aspectos da organização do trabalho. Aborda-se um tema atual, que responde à necessidade de compreender o trabalho e seus efeitos deletérios visando contribuir com futuras transformações.

Biografia do Autor

Maria de Fátima Ferreira Queiróz, Universidade Federal de São Paulo-UNIFESP

Professora Associada do Departamento de Políticas PÚblicas e Saúde Coletiva da Universidade Federal de São Paulo-UNIFESP. Professora orientadora do Programa de Pós Graduação Ensino em Ciências da Saúde da UNIFESP. Pesquisadora da temática Trabalho e Saúde, Trabalho Portuário, Organização do Trabalho, Ergonomia.

Laiany Lara Emiliano, Universidade Federal de São Paulo-UNIFESP

Mestranda do Programa de Pós Graduação em Serviço Social e Políticas Sociais da Universidade Federal de São Paulo. Graduada em Serviço Social pela Universidade Federal de São Paulo.

Referências

AREOSA, J. Capitalismo e precarização do trabalho. In: VELOSO, L. et al. Anarquismo, trabalho e sociedade. Coimbra: Almedina, 2017. p. 239-269.

ANTUNES, R.; BRAGA, R. (org.). Infoproletáriados: degradação real do trabalho virtual. São Paulo: Boitempo, 2009.

ARBEX, P. S; SOUZA, K. R; MENDONÇA, A. L. O. Trabalho docente, readaptação e saúde: a experiência dos professores de uma universidade pública. Physis, Rio de Janeiro, v. 23, n. 1, p. 263-284, 2013.

CARMO, A. B. ; BATALHA, C. V.; MIQUELETTI, E. A. PEC 241: Do Acontecimento Político ao Acontecimento Linguístico. APEB.frp. Passagens de Paris, 14, 156-169, 2017. Disponível em: www.apebfr.org/passagesdeparis Acesso em: 10 jan. 2020.

COLADO, E. I. Capitalismo académico y globalización: la universidad reinventada. Educ. Soc., Campinas, v. 24, n. 84, p. 1059-1067, 2003.

DESLAURIERS, J-P.; KÉRISIT, M. O delineamento da pesquisa qualitativa. In: POUPART, J. et al. A Pesquisa Qualitativa-Enfoques epistemológicos e metodológicos. 2. ed. São Paulo: Vozes, 2010. p. 130-131.

EMILIANO, L. L.; QUEIRÓZ, M. F.F. Nas dobras da eficiência: a relação entre trabalho e saúde de docentes de uma universidade pública brasileira. In: CABREIRA, P. P. (org.). História do Movimento Operário e Conflitos Sociais em Portugal: “Tempos Modernos, Jornadas Antigas”. (Atas do III e IV CHTMOCSP & III COCTV). Lisboa: IHC, 2020. ISBN: 978-989-8956-20-0.

ENGELS, F. A situação da classe trabalhadora na Inglaterra. São Paulo: Boitempo, 2010.

FAVATO, M. N; RUIZ, M. J. F. Reuni: política para a democratização da educação superior? Revista Eletrônica de Educação, São Carlos, v. 12, n. 2, p. 448-463, 2018.

GUARANY, A. M. B. Trabalho Docente, Carreira Docente: elementos que impactam a saúde mental dos docentes da Universidade Federal do Rio de Janeiro: estudo de caso. 2014. 144f. Tese (Doutorado em Serviço Social)  Escola de Serviço Social, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2014.

LALLA JÚNIOR, J. R. Desafios, dificuldades e incertezas no trabalho do professor universitário: Estudo de caso em uma universidade pública no interior do Estado de São Paulo. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) − Faculdade de Medicina, Universidade Estadual Paulista (Unesp), Botucatu, São Paulo, 2019.

LAURELL, A.; NORIEGA, M. Processo de Produção e Saúde-Trabalho e desgaste operário. São Paulo: Hucitec, 1898.

LAVAL, C. A escola não é uma empresa: o neoliberalismo em ataque ao ensino público. Tradução Mariana Echalar. 1. ed. São Paulo: Boitempo, 2019.

LE BRETON, D. Adeus ao corpo: Antropologia e sociedade. 6. ed. São Paulo: Papirus, 2013.

LEFÈVRE, F.; LEFÉVRE, A. M. C.; TEIXEIRA. J. J. V. O Discurso do Sujeito Coletivo: uma abordagem metodológica em pesquisa qualitativa. Caxias do Sul: EDUSC, 2000.

LIMA, M. F.; LIMA-FILHO, D. O. Condições de trabalho e saúde do/a professor/a universitário/a. Ciências e Cognição, Rio de Janeiro, v. 14, n. 3, p. 63-82, 2009.

MARX, K. O Capital. V.1. São Paulo: Boitempo, 2103.

OLIVEIRA, J. F. A reestruturação da educação superior no Brasil e o processo de metamorfose das universidades federais: o caso da Universidade Federal de Goiás. 2000. 210f. Tese (Doutorado em Educação)  Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000.

PENTEADO, R. Z.; SOUZA NETO, S. de. Mal-estar, sofrimento e adoecimento do professor: de narrativas do trabalho e da cultura docente à docência como profissão. Saúde e sociedade, São Paulo, v. 28, n. 1, 2019, p. 135-153.

QUEIRÓZ, M. F. F. et al. Grupo PET-Saúde/Vigilância em Saúde do Trabalhador Portuário: vivência compartilhada. Interface Comunicação, Saúde, Educação, v. 19, supl. 1, p. 931-49, 2015.

REAL, D. C. Primavera Secundarista: Engajamento Estudantil nas Ocupações de Vitória – ES em 2016. 2016. 159f. Tese (Mestrado em Ciências Sociais) – Universidade Federal do Espírito Santo, Espírito Santo, 2016.

ROSSO, S. D. Mais trabalho! A intensificação do labor na sociedade contemporânea. São Paulo: Boitempo, 2008.

SEVERINO, A. J. Educação, Ideologia e Contra Ideologia. São Paulo: E.P.U., 1986.

SIMIONI, A. M. C.; LEFÉVRE, F.; PEREIRA, I. M. T. B. Metodologia Qualitativa nas Pesquisas em Saúde Coletiva: Considerações Teóricas e Instrumentais. Série Monográfica nº 2. Eixo promoção de Saúde, Centro de Estudos e Pesquisas de Direito Sanitário. Universidade de São Paulo-Faculdade de Saúde Pública-Departamento de Práticas de Saúde Pública, 1996.

SVARTMAN, B. P.; CROCHIK, J. L.; MASSOLA, G. M. A reestruturação produtiva universitária e suas consequências sobre a produção acadêmica. Psicologia USP, São Paulo, v. 26, n. 2, p. 129-132, 2015.

Downloads

Publicado

2020-10-05