Uma interpretação marxista sobre a infância e os abrigos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1982-0259.2021.e75343

Palavras-chave:

Questão social, Abrigos, Marx, crianças e adolescentes

Resumo

O objetivo desse artigo é o de contribuir com a produção do conhecimento na área da infância e da adolescência, a partir da produção marxiana e autores da tradição marxista. Observa-se a pouca incidência do marxismo nos estudos sobre a situação de vida crianças e adolescentes. Para além de abordagens individuais, considera-se o processo de institucionalização em abrigos uma resposta às expressões da questão social e não o descompasso das famílias da classe trabalhadora em suas funções protetivas. Essas instituições cumprem uma função na reprodução social, por meio da proteção e da coerção, assim como a preparação da mão de obra para uma inserção precarizada no mercado de trabalho, reproduzindo o ciclo de dependência institucional e a exploração.

Biografia do Autor

Rodrigo Silva Lima, Universidade Federal Fluminense

Assistente Social, graduado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Mestre e Doutor pelo Programa de Pós Graduação em Serviço Social da UERJ. Professor Adjunto da Escola de Serviço Social da Universidade Federal Fluminense e do Programa de Pós Graduação em Serviço Social e Desenvolvimento Regional

Referências

AZEVEDO, Maria Amélia. GUERRA, Viviane. Infância e violência fatal em família. São Paulo: Iglu, 1998.

BARISON, Mônica. Disciplina ou cidadania? Estatuto da Criança e do Adolescente e as representações de agentes educacionais de abrigos. In: O social em questão. Rio de Janeiro: PUC-Rio, 1997.

BATISTA, Myrian Veras (Org.). Abrigo: comunidade de acolhida e socioeducação. Coleção abrigar. São Paulo: Núcleo de Estudos da Criança e do Adolescente / Instituto Camargo Correa, 2006.

BORGIANNI, Elisabete. Conselhos municipais da criança e do adolescente e a proposta de trabalho do abrigo. In: CECIF (Centro de Capacitação e Incentivo à Formação). Dialogando com abrigos – I Encontro Estadual de Abrigos de São Paulo. São Paulo, 2004.

CARVALHO, Maria do Carmo Brant (Coord.). Caderno de Ação n°3. Trabalhando abrigos. Instituto de Estudos especiais – IEE/PUC-SP / Centro Brasileiro para Infância e Adolescência CBIA – São Paulo, 1993.

CASTEL, Robert. As Metamorfoses da Questão Social. Uma Crônica do salário. Petrópolis, Vozes, 1998.

CASTELO, Rodrigo. A “questão social” nas obras de Marx e Engels. Revista Praia Vermelha, v. 20, n.° 1. Rio de Janeiro: UFRJ, 2010.

DIAS, Edmundo Fernandes. A liberdade (im)possível na ordem do capital: reestruturação produtiva e passividade. São Paulo: IFCH/UNICAMP, 1999.

ENGELS, Friedrich. A situação da classe trabalhadora na Inglaterra. São Paulo: Boitempo, 2010.

HARVEY, D. A condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. São Paulo: Loyola, 2000.

HUBERMAN, Leo. História da riqueza do homem. Rio de Janeiro: LTC, 2008.

JANCZURA, Rosane. Abrigo para crianças e adolescentes como medida de proteção: uma controvérsia. In: Revista Políticas Públicas. UFMA, São Luís, 2008.

IAMAMOTO, Marilda. A questão social no capitalismo. In: Revista Temporalis nº03. Brasília: ABEPSS - Associação Brasileira de Ensino Pesquisa em Serviço Social, 2001.

LIMA, R.S. O mistério do orçamento dos abrigos no Rio de Janeiro. In: Revista Textos e Contextos. Porto Alegre: PUC Rio Grande do Sul, 2015.

LONDON, Jack. O povo do abismo. Fome e miséria no coração do império britânico: uma reportagem do início do século XX. São Paulo: Ed. Fundação Perseu Abramo, 2004.

‘MALFITANO, Ana Paula Serrata; SILVA, Tatiana Viana da. Abrigo como medida de proteção para crianças e adolescentes: um levantamento bibliográfico PÓS-ECA. In: Revista Terapia Ocupacional. Universidade de São Paulo, 2014.

MARX, Karl. O Capital: crítica da economia política. Vol. I livro primeiro (o processo de produção do capital). Tomo 2. São Paulo: Abril cultural, 1984.

MARX, Karl. O Capital: crítica da economia política. Vol. I livro primeiro (o processo de produção do capital). Tomo 1. São Paulo: Abril cultural, 1983.

MARX. K; ENGELS, F. A Ideologia Alemã. São Paulo: Hucitec, 1999.

MAURIEL, Ana Paula Ornellas. Capitalismo, políticas sociais e combate à pobreza. Ijuí – RS: Editora Unijuí, 2011.

NETTO, José Paulo. Cinco notas a propósito da “questão social”. In: Revista Temporalis nº. 03 Brasília: ABEPSS - Associação Brasileira de Ensino Pesquisa em Serviço Social, 2001.

NETTO, José Paulo. Introdução ao estudo do método de Marx. São Paulo: Expressão Popular, 2011.

NEVES. Delma Pessanha. A perversão do trabalho infantil: Lógicas sociais e alternativas de prevenção. Rio de Janeiro: Intertexto, 1999.

NUNES, Deise Gonçalves. Uma breve história da (in)visibilidade do abandono de crianças e adolescentes. In: FREIRE, Silene (Org.). Direitos humanos: violência e pobreza na América Latina. Rio de Janeiro: Letra e imagem, 2007.

OLIVEIRA e SILVA, Maria Liduina. Entre Proteção e Punição - Controle Sociopenal dos Adolescentes. 1º Edição. Editora UNIFESP, 2011.

PASTORINI, Alejandra. A categoria questão social em debate. Coleção questões da nossa época, nº 109. São Paulo: Cortez, 2007.

PEREIRA, Potyara. Necessidades humanas: subsídios à crítica dos mínimos sociais. São Paulo: Cortez, 2000.

PILOTTI, Francisco. Crise e perspectiva da assistência à infância na América Latina. In: PILOTTI, F; RIZZINI, I. (Orgs.). A arte de governar crianças: a história das políticas sociais, da legislação e da assistência à infância no Brasil. Rio de Janeiro: Instituto Interamericano Del Niño, Amais livraria e editora, 1995.

POLANYI, Karl. A Grande Transformação. Rio de Janeiro: Ed. Campus, 1980.

RIZZINI, Irene (Org.). Vidas nas ruas: crianças e adolescentes nas ruas: trajetórias inevitáveis? Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio; São Paulo: Loyola, 2003.

SAFFIOTI, Heleieth. Gênero, Patriarcado violência. São Paulo: Expressão Popular: Fundação Perseu Abramo, 2015.

SALVADOR, Evilásio. ALVES, Maria da Conceição Lima. O abandono dos direitos assistenciais do ECA na execução orçamentária. Revista Sociedade em Debate, nº 18, Pelotas, 2012.

SALES, Mione Apolinário. (In)visibilidade Perversa: adolescentes infratores como metáfora da violência. São Paulo: Cortez, 2007.

SANTOS, Benedito Rodrigues dos. Enfrentamento da exploração sexual infanto-juvenil. São Paulo: Canone, 2010.

VEIGA, Cyntia Greive. Crianças Pobres como Grupo Outsider e a Participação da Escola. Educação e Realidade, Porto Alegre, 2017.

Downloads

Publicado

2021-04-09