A funcionalidade do salário por peça no trabalho mediado por plataformas digitais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1982-0259.2022.e82662

Resumo

Este artigo objetiva demonstrar a funcionalidade do salário por peça no trabalho mediado por plataformas digitais. A partir dos pressupostos da crítica marxiana da economia política, apresenta-se os fundamentos do processo de acumulação flexível, o tipo peculiar de tecnologia que fomenta e o avanço da precarização do trabalho. Posteriormente, problematiza‑se o trabalho mediado pelas plataformas digitais como corolário desse regime de acumulação, em face da crise estrutural. Constata-se que a suposta mediação consiste em elaborado mecanismo de controle do trabalho, no qual o salário por peça exerce importante papel, mesmo sob a pecha do fim do assalariamento.

Biografia do Autor

Diego de Oliveira Souza, Universidade Federal de Alagoas

Doutor em Serviço Social pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).
Professor adjunto II da Universidade Federal de Alagoas, campus Arapiraca (UFAL).

Referências

ABILIO, L. C. Uberização: do empreendedorismo para o autogerenciamento subordinado. Psicoperspectivas, Valparaíso, v. 18, n. 3, p. 41-51, nov. 2019.

ALVES, G. Dimensões da reestruturação produtiva: ensaios de sociologia do trabalho. 2. ed. Londrina: Praxis; Bauru: Canal 6, 2007.

ALVES, G. O novo (e precário) mundo do trabalho. Reestruturação produtiva e crise do sindicalismo. 1ª ed. 2ª reimpressão. Boitempo Editorial: São Paulo, 2010.

ANTUNES, R. Os Sentidos do Trabalho. Ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. 2ª ed. 10ª reimpr. rev. e ampl. São Paulo: Boitempo, 2009.

ANTUNES, R. Proletariado digital, serviços e valor. In: ANTUNES, R. (org.). Riqueza e miséria do trabalho no Brasil IV: trabalho digital, autogestão e expropriação da vida: o mosaico da exploração. São Paulo: Boitempo, 2019, p. 15-23.

FILGUEIRAS, V.; ANTUNES, R. Plataformas digitais, Uberização do trabalho e regulação no Capitalismo contemporâneo. Contracampo, Niterói, v. 39, n. 1, p. 27-43, 2020.

HARVEY, D. Condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. São Paulo: Editora Loyola, 1992.

MARX, K. O capital: crítica da economia política. Livro primeiro, Tomo I. São Paulo: Nova Cultural, 1988a.

MARX, K. O capital: crítica da economia política. Livro primeiro, Tomo II. São Paulo: Nova Cultural, 1988b.

MÉSZÁROS, I. Para além do Capital: rumo a uma teoria da transição. 1ª ed. 3ª reimp. São Paulo: Boitempo Editorial, 2009.

SLEE, T. Uberização: a nova onda do trabalho precarizado. São Paulo: Editora Elefante, 2017.

TAVARES, M. A. Os fios (in)visíveis da produção capitalista: informalidade e precarização do trabalho. São Paulo: Editora Cortez, 2004.

TAVARES, M. A.; LIMA, R. O. T. de. A "liberdade" do trabalho e as armadilhas do salário por peça. Revista Katálysis, Florianópolis, v. 12, n. 2, p. 170-177, 2009.

VERÇOZA, L. Os homens-cangurus dos canaviais alagoanos: um estudo sobre trabalho e saúde. Maceió: Edufal, 2018.

Downloads

Publicado

2022-05-06