Os cuidados familiares: Aspectos da reprodução social à luz da desigualdade de gênero

Claudia Krmpotic, Lia Carla de Ieso

Resumo


O artigo propõe um percurso menos habitual para se compreender questões de gênero e desigualdade, a partir daquelas funções que se organizam através do parentesco e da vida doméstica. Neste sentido, família e lar explicam a função de “cuidados” considerada hoje em dia um valioso recurso de caráter tanto tangível como intangível; um meio que concilia o âmbito produtivo e reprodutivo, em momentos em que se advoga pelos cuidados familiares como problema social e objeto de políticas públicas. Pensar na relação entre gênero e cuidados permite vincular não apenas o papel da família, Estado e mercado, a partir de posições “familistas”, como a partir de um regime “desfamiliarizador”, mas também incluir, nesta dinâmica, outras instituições da sociedade civil, os sistemas educativos e legais, e os sistemas de crenças.


Palavras-chave


Cuidado; Género; Ciudadanía; Políticas familiares; Cuidado; Gênero; Cidadania; Políticas familiares; Care; Gender; Citizenship; Family policies

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-49802010000100011

R. Katál. Florianópolis, Santa Catarina, Brasil eISSN: 1982-0259  

Licença Creative Commons Adota a Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.