Como querer balburdiar: um respiro para a poética das vozes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2020v25n2p08

Palavras-chave:

Literatura, Teoria literária, Crítica literária, Poéticas da voz

Biografia do Autor

Bianca Rosina Mattia, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutoranda em Literatura no Programa de Pós-Graduação em Literatura da UFSC. Mestra em Literatura (PPGLit/UFSC). Licenciada em Letras-Língua Portuguesa e Literaturas (UFSC). Bacharela em Ciências Jurídicas e Sociais (UPF). Integra o quadro discente do Núcleo de Literatura Atual – Estudos Feministas e Pós-Coloniais de Narrativas da Contemporaneidade (LITERATUAL/UFSC). Compõe a Comissão Editorial da revista Anuário de Literatura e tem interesse em Literatura Portuguesa (séc. XX e XXI) e Estudos Literários sob a perspectiva dos Estudos de Gênero e da Crítica Feminista.

Daniela Stoll, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutoranda em Literatura no Programa de Pós-Graduação em Literatura da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e Mestra em Literatura pela mesma universidade (2017). É membro da comissão editorial da Revista Anuário de Literatura (PPGL/UFSC) e integrante do Núcleo Literatual. Graduou-se em Arquitetura e Urbanismo (UFSC, 2010) e desde 2018 cursa a graduação em Letras, Língua Portuguesa e Literaturas, também na UFSC. É autora do romance Do lado de dentro do mar (Editora Patuá, 2018).

Elton da Silva Rodrigues, Universidade Federal de Santa Catarina

Licenciado em Letras – Língua Portuguesa e Literatura pela UFSC e integrante do LabFlor: Laboratório Floripa em composição transdiciplinar: arte, cultura e política. Mestrando em Literatura pelo Programa de Pós-graduação em Literatura da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e bolsista CNPq.

Isabele Soares Parente, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestranda em Literatura pela UFSC. Possui graduação em Letras – Língua Portuguesa pela Universidade Regional do Cariri (URCA). É pesquisadora do Núcleo de Estudos em Teoria Linguística e Literária (NETLLI) e participa do Laboratório de Estudos de Gênero e História (LEGH) e do Núcleo de Pesquisa em Cultura Popular Behetçoho. Possui interesse nos temas: estudos feministas e pós-coloniais, narrativas contemporâneas e cultura popular.

Jair Zandoná, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutor (2013) e mestre (2008) em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina. Graduado em Letras Português Habilitação em Língua Espanhola e Respectivas Literaturas pela Universidade do Oeste de Santa Catarina (2003). É um dos editores da Revista Anuário de Literatura (PPGL/UFSC), editor de resenhas da Revista Estudos Feministas (REF), integra o quadro de pesquisadores/as associados/as do Instituto de Estudos de Gênero (IEG/UFSC) e do Núcleo de Literatura Atual - Estudos Feministas e Pós-Coloniais de Narrativas da Contemporaneidade (LITERATUAL/UFSC). Realiza estágio de pós-doutorado no Programa de Pós-Graduação em Linguística da UFSC com bolsa PNPD/CAPES.

Tânia Regina Oliveira Ramos, Universidade Federal de Santa Catarina

Possui graduação em Letras pela UFSC, mestrado e doutorado em Literaturas de Língua Portuguesa pela PUC-RJ. Atualmente é Professora Titular e coordena o núcleo Literatura e Memória da UFSC. Faz parte da Coordenação Geral da Revista Estudos Feministas. É professora de Literatura Brasileira e Estudos Literários nos Cursos de Graduação e Pós-Graduação em Letras e Literatura na UFSC. Atua, pesquisa e publica nas linhas de pesquisa História e Memória, escritas de si e gênero.

Referências

CHARTIER, Roger. A mão do autor e a mente do editor. Trad. de George Schlesinger. São Paulo: Editora UNESP, 2014.

CORTÁZAR, Julio. Alguns aspectos do conto. In: CORTÁZAR, Julio. Obra crítica. Trad. de Pualina Wacht e Ari Roitman. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, v. 2, 1999. p. 345-363.

LITERATURA, Anuário de. Apresentação. Anuário de Literatura, Florianópolis, p. 01-08, jan. 1993. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/5227/4651. Acesso em: 25 set. 2020.

LITERATURA, Anuário de. Chamada v. 25, n. 2 (2020). Florianópolis (Santa Catarina), 04 nov. 2019. Facebook: @anuariodeliteratura. Disponível em: https://www.facebook.com/anuariodeliteratura/photos/basw.AbrUt8mAyJf9IE_qYMwqgrdA0-z5G5HImD3SvhXh12vhUCNEhZgbDWaRt4fLwbWkX5v_TGzBT_x1NgyhbypILXyx4IQedPs0uFJf-ZwWoaF38A6RsBmW2HtaR4eCVL1J4JIhU9Ml7Mn1QGq6s9q8lQbBxfWUEIBoxDuAm4iqeXD8iQ/1566020090207432. Acesso em: 25 set. 2020.

PERRONE-MOYSÉS, Leyla. Mutações da literatura no século XXI. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

PLATH, Sylvia. Uma comparação. In: PLATH, Sylvia. Zé Susto e a Bíblia dos Sonhos. Trad. de Ana Luísa Faria. Lisboa: Relógio D’Água, 1995. p. 65-68.

ROSSI, Luciano. A Literatura Novelística na Idade Média Portuguesa. Amadora Portugal: Instituto de Cultura Portuguesa, 1979.

SCHERER, Telma. A foto da pintura não é pintura. Florianópolis (Santa Catarina), 23 ago. 2020. Instagram: @telmascherer. Disponível em: https://www.instagram.com/p/CEO4iP4ADVs/. Acesso em: 23 set. 2020.

Downloads

Publicado

2020-10-06

Como Citar

MATTIA, B. R.; STOLL, D.; RODRIGUES, E. da S.; PARENTE, I. S.; ZANDONÁ, J.; RAMOS, T. R. O. Como querer balburdiar: um respiro para a poética das vozes. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 25, n. 2, p. 08-14, 2020. DOI: 10.5007/2175-7917.2020v25n2p08. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/2175-7917.2020v25n2p08. Acesso em: 26 nov. 2020.

Edição

Seção

Editorial