O mito de Orfeu na poesia de Murilo Mendes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2023.e92456

Palavras-chave:

Murilo Mendes, Orfeu, Mito, Poesia

Resumo

Nesse texto, pretendemos examinar a presença de Orfeu na poética de Murilo Mendes por meio da análise dos poemas que o poeta dedicou ao citaredo trácio. A figuração do mito de Orfeu ocupa um lugar central na obra de Murilo Mendes e, em seus múltiplos significados, dois sentidos são fundamentais para sua poética: o caráter fragmentário de sua poesia, que o liga à poética da modernidade e o desejo, por meio do canto órfico, de reorganizar o caos do mundo moderno em um cosmos revigorador.

Biografia do Autor

Luciano Marcos Dias Cavalcanti, Universidade Federal de Alfenas

Graduado em Letras: Língua Portuguesa e suas respectivas literaturas pela Universidade Federal de Ouro Preto, Mestre em Letras: Teoria da Literatura pela Universidade Federal de Minas Gerais, Doutor em Teoria e História Literária pela Universidade Estadual de Campinas, realizou estágio de pós-doutorado no Departamento de Literatura Brasileira da UNESP/Araraquara. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Literatura Brasileira, Teoria Literária e Literatura Comparada, atuando principalmente nos estudos de poesia e prosa brasileira moderna e contemporânea.

Referências

BARCA, Pedro Calderón de la. La vida es sueño. Madrid: Cátedra, 1998.

BLANCHOT, Maurice. O espaço literário. Rio de Janeiro: Rocco, 1987.

BRANDÃO, Junito de Souza. Mitologia grega. Vol. II. Petrópolis: Vozes, 1996.

BRETON, André. Manifestos do Surrealismo. Trad. de Sérgio Pachá. Rio de Janeiro: Nau Editora, 2001.

BUENO, Antônio. Orfeu Reinventado: Murilo Mendes, Cem Anos de um Poeta Contemporâneo, s/d. Disponível em: www.ciberkiosk.pt/ensaios/murilobueno.html. Acesso em: 11/08/2017.

DETIENNE, Marcel. A escrita de Orfeu. Trad. de Mário da Gama Kury. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1991.

ELIADE, Mircea. Mito e realidade. Trad. de Pola Civelli. São Paulo: Perspectiva, 1998.

INFANTE, Ulisses. Murilo Mendes incorpora a poesia. Signo, Santa Cruz do Sul, v. 41, n. 72, p. 76-88, out. 2016. Disponível em: https://online.unisc.br/seer/index.php/signo/article/view/7103. Acesso em: 11/08/2017.

JABOULLE, Victor. Mito e literatura: algumas considerações acerca da mitologia clássica na literatura ocidental. In: JABOULLE, Victor. Mito e literatura. Mem Martins, Portugal: Inquérito, 1993. p. 9-44.

MOURA, Murilo Marcondes de. Murilo Mendes: a poesia como totalidade. São Paulo: EDUSP/Giordano, 1995.

MARCUSE, Herbert. Eros e Civilização: uma introdução filosófica do pensamento de Freud. Trad. de Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Zahar editores, 1978.

MENDES, Murilo. Poesia completa e prosa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994.

MERQUIOR, José Guilherme. Murilo Mendes ou a poética do visionário. In: MERQUIOR, José Guilherme. Razão do poema. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1965. p. 17-90.

SECCHIN, Antônio Carlos. “Entrevista com Antônio Carlos Secchin”, por Aleílton Fonseca. Tiro de Letra, publicado anteriormente no Jornal de Poesias, 19/09/2015. Disponível em: http://www.tirodeletra.com.br/entrevistas/AntonioCarlosSecchin.htm. Acesso em: 16 maio 2023.

TRINGALI, Dante. O Orfismo. In: CARVALHO, Sílvia M. (org.). Orfeu, Orfismo e Viagens a Mundos Paralelos. São Paulo: Edunesp. 1990. p. 15-24.

VALÉRY, Paul. Variedades. Org. e Int. de João Alexandre Barbosa; Trad. de Maiza Martins de Siqueira; Posfácio de Aguinaldo Gonçalves) São Paulo: Iluminuras, 1999.

VERNANT, Jean-Pierre. Aspectos míticos da memória e do tempo. In: VERNANT, Jean-Pierre. Mito e pensamento entre os gregos: estudos de psicologia histórica. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990. p. 107-131.

VICO, Giambattista. Princípios de uma ciência nova: acerca da natureza comum das nações. Trad. de Antonio Lázaro de Almeida Prado. São Paulo: Abril Cultural, 1979.

Downloads

Publicado

2023-05-23

Como Citar

CAVALCANTI, Luciano Marcos Dias. O mito de Orfeu na poesia de Murilo Mendes. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 28, p. 01–20, 2023. DOI: 10.5007/2175-7917.2023.e92456. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/92456. Acesso em: 27 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos