Sujeitos fraturados em Um judeu na minha cama, de Lília Silva

Autores

  • Job Lopes Universidade Estadual de Mato Grosso

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2023.e92901

Palavras-chave:

Literatura brasileira contemporânea, Fraturas, Existência, Dramaturgia

Resumo

O presente artigo analisa os conflitos existenciais, que se estudam como “fraturas” dos personagens, Luana e Gad, a partir da obra dramatúrgica Um judeu na minha cama, da escritora contemporânea Lília Silva, publicado em 1976. O termo abordado nesse artigo por “sujeitos fraturados”, advém das teorias de Luiz Costa Lima (2000), o sujeito fraturado se constitui por sua por suas fendas e inquietudes. Não é um ser pronto, mas mutável como parte imprescindível da alteridade. Os protagonistas, Luana e Gad, vivenciam as fraturas e as expõe, uma tentativa de entender a condição existencial de cada um e fugir da infelicidade. Partindo dos estudos psicanalíticos e filosóficos aliados à literatura, o dualismo apresentado pela obra, revela dois conflitos antagônicos e preponderantes em sua teoria: o primeiro diz respeito à busca cega e solitária do homem pela felicidade, como forma de autoafirmação da vontade. O segundo se opõe a este, pois se refere ao destino que impõe o sofrimento aos indivíduos, o que é um dos princípios da autonegação da vontade de viver.

Referências

ANGERAMI-CAMON, Valdemar A. Solidão a ausência do outro. São Paulo: Pioneira, 1990.

BACHELARD, Gaston. Poética do espaço. Trad. de Rosemary Costhek Abílio. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e filosofia da linguagem. Trad. de Paulo Bezerra. São Paulo: Hucitec, 1992.

CHAVES, Wilson Camilo. A determinação do sujeito em Lacan: da reintrodução na psiquiatria à subversão do sujeito. São Carlos: Edufscar, 2005.

CHEVALIER, Jean; GHEERBRANT, Alain. Dicionários de símbolos. Trad. de André Barbault. Rio de Janeiro: José Olympio, 2009.

FURTADO, José Luiz. Amor. São Paulo: Globo, 2008.

LACAN, Jaques. O Seminário – a angústia livro 10. [1901-1981]. Texto Estabelecido por Jacques-Alain Miller. Trad. de Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

LIMA, Luiz Costa. Mímesis: desafio ao pensamento. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

PARAIZO, Mariângela Andrade. O labirinto e a bússola: aspectos do tempo em Borges. São Paulo: Fundação Memorial América Latina, 2003.

SARTRE, Jean-Paul. O ser e o nada: ensaio de fenomenologia ontológica. Trad. de Paulo Perdigão. Rio de Janeiro: Vozes, 1997.

SILVA, Lília A. Pereira da. Juiz morto. São Paulo: João Scortecci, 1967.

SILVA, Lília A. Pereira da. Um judeu na minha cama. São Paulo: João Scortecci, 1997.

Downloads

Publicado

2023-12-06

Como Citar

LOPES, Job. Sujeitos fraturados em Um judeu na minha cama, de Lília Silva. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 28, p. 01–12, 2023. DOI: 10.5007/2175-7917.2023.e92901. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/92901. Acesso em: 17 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos