Subsídios para a compreensão da cultura político-eleitoral da democracia brasileira

Marcello Baquero

Resumo


A democracia eleitoral contemporânea brasileira enfrenta um dilema que
pode ser definido nos seguintes termos: uma democracia representativa
formal eficiente coexiste com graves problemas sociais. Essa convivência
tem gerado um tipo de hibridismo da cultura política, propiciando a
manutenção de velhas práticas políticas em épocas eleitorais, como: o
clientelismo, o nepotismo e o patrimonialismo. Além desses fatores, a
democracia eleitoral privilegia a pessoa do candidato, em detrimento das
instituições políticas como catalisadores de identidades coletivas. Neste
trabalho, examinamos as conseqüências desses fatores no processo de
construção democrática. Para explicar esse dilema, recorremos a dados
empíricos longitudinais de pesquisas de cultura política realizadas no Rio
Grande do Sul, visando provocar algumas generalizações para o Brasil.
Os dados examinados sugerem que o desafio dos cientistas políticos é
estabelecer um equilíbrio entre democracia formal e democracia social.
Tal esforço auxiliaria a criar uma cultura político-eleitoral mais cívica e que
estimule a participação ativa dos cidadãos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Direitos autorais 2008 Política & Sociedade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Visite nossa página no Facebook:

https://www.facebook.com/revistapoliticaesociedade/

Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
Revista Política & Sociedade - ISSNe 2175-7984
Florianópolis - SC - Brasil

CNPq CAPES