A construção social da corrupção

Mark Granovetter

Resumo


Este artigo tem por objetivo demonstrar a importância das construções
sociais no julgamento da corrupção. A literatura recente, de enfoque
econômico, negligencia estas construções e acaba subdeterminando os
resultados da corrupção. A maneira como os incentivos são arranjados, por
exemplo, e o significado que tomam para os atores dependem em grande
parte de aspectos sociais, culturais e históricos. De fato, apenas considerando-
se estes aspectos é que se podem definir com maior precisão vários
dos elementos envolvidos na corrupção, como suborno, extorsão, desfalque,
indivíduos corruptos, deveres públicos, integridade, etc. E é também
em função destes aspectos que a ação corrupta pode ser “neutralizada”,
ou seja, justificada de modo a não constituir uma violação. Este artigo
esboça alguns debates sociológicos sobre corrupção, analisando trocas
entre díades, e entre indivíduos e organizações, o papel do status social
relativo na corrupção, relações patrão-cliente, corrupção particularizada,
conflitos de interesses e o papel da ideologia.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5007/%25x

Direitos autorais 2008 Política & Sociedade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Visite nossa página no Facebook:

https://www.facebook.com/revistapoliticaesociedade/

Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
Revista Política & Sociedade - ISSNe 2175-7984
Florianópolis - SC - Brasil

CNPq CAPES