Os limites da participação: as gestões municipais do PSB em Natal e Maceió

Lindijane de Souza Bento Almeida

Resumo


A ampliação das experiências de participação da sociedade civil na gestão pública tem ocasionado uma grande diversidade de resultados, mesmo quando levadas a cabo por grupos pertencentes a um mesmo partido ou a uma mesma tendência ideológica. Assim, a questão que nos
impulsionou à investigação direcionava-se a analisar por que o projeto de gestão participativa se realiza em formatos diferentes, mesmo quando os gestores pertencem a um mesmo partido e seguem o mesmo discurso. A análise comparativa das duas experiências (Natal e Maceió) demonstrou que há semelhanças, mas, apesar de ambas estarem atreladas ao mesmo projeto político-partidário, há também diferenças, em termos: do avanço do projeto, principalmente em decorrência da peculiaridade do trabalho de base realizado pelos partidos de esquerda junto ao movimento popular; do tipo de coalizão governista que se formou no município e do legado institucional deixado pela gestão anterior.

Palavras-chave


Palavras-chave: Gestão pública; Participação social; Democracia; Clientelismo.

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7984.2011v10n19p199

Direitos autorais 2011 Política & Sociedade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 Visite nossa página no Facebook:

https://www.facebook.com/revistapoliticaesociedade/

Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
Revista Política & Sociedade - ISSNe 2175-7984
Florianópolis - SC - Brasil

CNPq CAPES