Os limites da participação: as gestões municipais do PSB em Natal e Maceió

Autores

  • Lindijane de Souza Bento Almeida UFRN

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7984.2011v10n19p199

Palavras-chave:

Palavras-chave, Gestão pública, Participação social, Democracia, Clientelismo.

Resumo

A ampliação das experiências de participação da sociedade civil na gestão pública tem ocasionado uma grande diversidade de resultados, mesmo quando levadas a cabo por grupos pertencentes a um mesmo partido ou a uma mesma tendência ideológica. Assim, a questão que nos
impulsionou à investigação direcionava-se a analisar por que o projeto de gestão participativa se realiza em formatos diferentes, mesmo quando os gestores pertencem a um mesmo partido e seguem o mesmo discurso. A análise comparativa das duas experiências (Natal e Maceió) demonstrou que há semelhanças, mas, apesar de ambas estarem atreladas ao mesmo projeto político-partidário, há também diferenças, em termos: do avanço do projeto, principalmente em decorrência da peculiaridade do trabalho de base realizado pelos partidos de esquerda junto ao movimento popular; do tipo de coalizão governista que se formou no município e do legado institucional deixado pela gestão anterior.

Biografia do Autor

Lindijane de Souza Bento Almeida, UFRN

Professora do Departamento de Políticas Públicas (DPP) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Natal. Endereço eletrônico: lindijane@cchla.ufrn.br.

Downloads

Publicado

2011-11-02

Edição

Seção

Artigos