Mercados como arenas de luta por reconhecimento: disputas morais na construção dos dispositivos de qualificação dos alimentos

Autores

  • Paulo André Niederle Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7984.2016v15n33p97

Palavras-chave:

Sociologia econômica, Instituições, Alimentos

Resumo

A compreensão dos mercados como arenas de lutas por reconhecimento ainda não foi devidamente considerada pelos estudos agroalimentares, o que limita a compreensão de alguns processos de distinção e qualificação. A partir de uma aproximação entre a Teoria do Reconhecimento e a Sociologia Econômica, este artigo analisa as disputas morais que cercam a construção dos dispositivos de valoração dos alimentos. O foco recai na construção dos selos que identificam produtos de agricultores familiares, quilombolas e indígenas. Reagindo a um histórico de desrespeito e injustiça, estes atores começam a utilizar os mercados para empreender lutas por reconhecimento, afirmando valores que distinguem suas identidades sociais. A institucionalização destes selos, com protagonismo estatal, revela conflitos valorativos que opõem uma lógica particularista, que defende reservar o selo a produtos estreitamente associados às identidades destes grupos sociais, e uma lógica generalista, que aposta na sua ampla disseminação, associando-o a uma vasta gama de produtos de empresas e cooperativas agroindustriais.

 

 

Biografia do Autor

Paulo André Niederle, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Professor dos Programas de Pós-Graduação em Sociologia (PPGS) e Desenvolvimento Rural (PGDR) da Universidade
Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).  

Downloads

Publicado

2016-11-21

Edição

Seção

Dossiê Temático